Olá.

Seja bem vindo ao nosso blog. Nós somos 4 viciados em CrossFit que resolveram se juntar pra contar pra você tudo que a gente sabe e curte! Esperamos que você goste!

Brasileiros nas Etapas Regionais do CrossFit: Individual masculino

Brasileiros nas Etapas Regionais do CrossFit: Individual masculino

Vamos começar as análises do leadearboard com o individual masculino. Se olharmos agora de forma congelada, e assumindo a validação completa dos scores, no Leadearboard, teríamos apenas 1 brasileiro no individual masculino: Artur Machado, da Fúria CrossFit. Maaaaas na melhor das hipóteses, podemos ter até 5 atletas brasileiros indo na categoria individual masculino. Por que isso? Por que muitas boxes também tem seus times. Os times são pontuados no Open com as melhores 3 marcas de atletas masculinos e as melhores 3 marcas de atletas femininos daquele box. Um atleta classificado para o individual também pode contribuir para seu time. Mas, se ele for pelo individual, seu score no time é removido. E isso muda todo o leaderboard! Por exemplo, no ano passado os 3 primeiros colocados na América Latina foram competir pelo time BIGG FRIENDS, da BIGG CrossFit Recoleta, na Argentina. Pablo Haber ano passado foi o 11o colocado e acabou indo competir com seu time CrossFit Q21. Logo, na categoria individual masculino em 2016, até o 14o colocado foi chamado.

 

E esse ano? Esse ano nós temos o Mauro Acevedo, o Ivan Gaitan e o Augustin Richelme entre os 10 primeiros colocados; e todos são da BIGG CrossFit Recoleta. Isso não implica que todos vão para o time. Ano passado a BIGG teve, além do time, mais dois atletas na categoria individual. Mas isso é algo que a BIGG CrossFit vai ter que analisar com cuidado. Em 2016 eles ficaram em 11o no quadro geral da South Regional, e apenas 5 times vão para os Games. M. Acevedo e G. Duro foram na categoria individual masculino e acabaram em 24o e 38o de 50, respectivamente. Então será que eles arriscariam a mandar os melhores no individual, sendo que eles estão cada vez mais perto de classificar novamente um time para o CrossFit Games (eles foram em 2014, quando as regionais eram apenas na américa latina)? E mais...ao mandar os melhores e ainda assim manter a classificação, eles não estariam arriscando ir numa bateria que não os favorecesse nos regionais?

Além deles, M. Arigossi, que está em terceiro, faz parte do time Tuluka. E em todo open apenas 3 homens contribuíram com score para o Time Tuluka, que ficou em sexto na América Latina. Será que teria outra pessoa para substituí-lo, manter o time classificado, e ele ir no individual? Essa é a mesma pergunta que devemos fazer sobre M. Viz Carra e S. Hermosilla, 6o e 9o colocados na América Latina. Ambos fazem parte do time Crossfit Q21, 3o colocado. Então há uma boa chance aí!

Portanto, se todos que tem times classificados optarem por ir com seus times, seriam mais 6 vagas no individual masculino que teríamos disponíveis! Anderon Primo, da CrossFit Bauro, está em 11o ; Gilson Duarte, da Centaurus CrossFit em 13o; Guilherme Domingues, da Crossfit Taura em 14o ; e Pablo Chalfun, da Valente CrossFit, em 16o. Os outros dois que estão no meio, o S. Ficcadenti em 12o e o Gonzalo Duro em 15o seriam também da BIGG CrossFit Recoleta, então acho que a BIGG não ficaria muito triste! Vamos agora esperar para ver quem aceita ou não o convite do individual para vermos quantos brasileiros termos para torcer!

E só para completar...alguém sabe quem é Marcelo Bruno? 1O lugar na América Latina, 1o Open, 13o do Mundo...de onde surgiu esse fenômeno Chileno?

Brasileiras na etapa Regional do Crossfit Games: Individual Feminino

Brasileiras na etapa Regional do Crossfit Games: Individual Feminino

O Open acabou! Que venham as Regionais do Crossfit!

O Open acabou! Que venham as Regionais do Crossfit!