Olá.

Seja bem vindo ao nosso blog. Nós somos 4 viciados em CrossFit que resolveram se juntar pra contar pra você tudo que a gente sabe e curte! Esperamos que você goste!

Hugo Cross entrevistou a medalhista de ouro olímpica e atleta do CF Games: Anna Tunniclife

Hugo Cross entrevistou a medalhista de ouro olímpica e atleta do CF Games: Anna Tunniclife

Dia 19 de Agosto de 2008 e Anna Tunnicliffe realiza seu sonho. É um pódio. E não é o pódio do CrossFit Games. Ela ocupa o lugar mais alto da classe Laser Radial nas olimpíadas de Pequim em 2008. Sim, Anna Tunnicliffe era uma velejadora de nível internacional, medalhista de ouro olímpica, quando conheceu o crossFit em 2011 para melhorar seu preparo físico. Ela acabou se classificando em 2012 para os regionais, mas desistiu para focar nas olimpíadas de Londres naquele ano. O sucesso de Pequim em 2008 infelizmente não se repetiu. Mas o sucesso do CF Games estava apenas começando! Entrevistamos Anna Tunnicliffe que falou ap Hugo Cross um pouco como migrou da vela para o cross, como que é seu treinamento, ser coach e o que podemos esperar dela esse ano! Confira a seguir!

Ficha Técnica

Nome: Anna Tunnicliffe
Box que treina: T2 CrossFit, em Bridgeville, South Fayette, Pensilvânia
Há quanto tempo treina CrossFit: Eu treino CrossFit há pouco mais de 5 anos
Qual é o seu Benchmark favorito? Eva
Qual seu ponto forte no CrossFit? Eventos longos
Qual seu ponto Fraco?Pesos super pesados.

Nota do HC: Eva é um W.O.D com 5 Rounds for time de 800 m de corrida, 30 KB swing e 30 pull up.


HC: Você é uma medalhista de ouro olímpica dos jogos de 2008. Você saiu da Vela para o CrossFit. Como foi essa transição? Como ser uma atleta de nível olímpico de ajudou no CrossFit? Quão diferente é competir nas olimpíadas e no CrossFit Games e qual você prefere mais?

AT:Ambas as experiências são completamente diferentes e eu não comparo uma com a outra, você não pode. Os Jogos Olímpicos são surpreendentes e foram anos e anos trabalhando para conseguir. Foi um sonho que tive desde que tinha 12 anos e realizá-lo foi incrível. O CrossFit Games é uma experiência incrível tudo em si. Adoro poder participar de ambos incríveis eventos.

 

HC: Toda vez que você fez o open, você se classificou para o regional. Cada vez que você fez o regional, você se classificou para os Games. Isso é impressionante! Você só perdeu os regionais de 2012 para se concentrar mais uma vez nos jogos olímpicos. Como você se preparar mentalmente e estrategicamente para realizar um W.O.D do open? Esta preparação muda significativamente para a etapa regional e o Games? Você tem um treinador ou você faz sua própria programação?

AT: Nosso treinamento para o Open é definitivamente diferente do que o de Regionals e os Jogos. Você não pode colocar o treinamento em espera durante o open, então treinamos durante o open, com Regionais e os Jogos em mente. Além disso, os Regionals e o Games é ligeiramente diferente do Open, eu acho. Eu tenho um treinador, meu marido Brad Tobias, que faz a minha programação. Ele tem sido meu treinador desde o primeiro dia

 

HC: Você foi de 9a em seu primeiro ano como um atleta de CrossFit em '13, para 22a em '14 e '15, para 10a ano passado! O que mudou dos anos anteriores para 2016? E o que podemos esperar de você este ano?

AT:A resposta fácil para isso é que eu não estava lesionada ou machucada. Em 2014 eu rasguei o meu plantar durante o evento triplo 3 num sprint final, o 3 º evento dos jogos, então eu não conseguia andar tão bem depois disso. Em 2015, o Murph me detonou muito e foi apenas no último evento que eu realmente cai fora do top 12. Então, no ano passado, nós apenas realmente focamos em ficar saudável e definir um bom de tempo na recuperação.

 

HC: Você tem algum conselho para o atleta comum? Quero dizer .... quando eu estou treinando e começo a cansar, ou começar a doer, eu diminuo o ritmo. Enquanto nós vemos você competir, devemos perguntar ... você não sente dor ou cansaço? Como você faz para continuar se esforçando? E algum conselho para que façamos o mesmo?

AT:Nós definitivamente sentimos inflamação e dor... não se preocupe. Somos todos humanos. Eu gosto de tentar dizer a mim mesmo que quanto mais cedo eu terminar, mais cedo a dor acabará. Mas também, nós estamos competindo uns contra os outros, então a adrenalina ajuda a tirar um pouco da dor. Nos exercícios diários, defina um desafio que, uma vez que você solte a barra, você vai fazer uma contagem de 5 em sua mão e, em seguida, começar a trabalhar novamente. Dessa forma, você não vai demorar muito tempo de uma pausa. Algo simples assim.

 

HC: Você tem alguma dieta específica? Sendo um atleta a sua vida toda, crei oque fazer dieta sempre fo iparte de sua vida. O que você costuma comer diariamente, por exemplo?

AT:Eu sempre comi saudável, mas desde que eu comecei CrossFit eu tenho focado mais na paleo, e às vezes a dieta primal (?). Eu amo como me sinto nela e amo a energia de todos os dias que eu tenho. Eu muito raramente faço algo requintado com a minha dieta, então eu só como um monte de legumes e frango.

 

HC: Além de ser atleta, você também é coach. Sua experiência como atleta deve ser crucial para motivar seus alunos. Como você faz isso? E como você lida com os alunos que querem se esforçar para ser um competidor de elite como você e os alunos regulares, que só querem uma vida melhor?

AT:Sendo coach, é minha responsabilidade conhecer todos os objetivos dos alunos. Dessa forma, quando eles estão fazendo treino de força ou wod nas aulas eu posso mudar minha abordagem para eles de acordo com cada um. Aprendi muito com Brad, que é um treinador fenomenal. Ele sabe como motivar todo mundo da maneira certa com base em seus objetivos. Alguém que quer ser elite, você vai ser um pouco mais duro sobre eles e empurrá-los para seus limites um pouco mais. Alguém que está lá para um ótimo treino e apenas uma vida melhor e mais saudável, recebem um elogio de "muito bom" durante um treino.

 

HC: Qual seria o seu evento dos sonhos no Games de 2017? Qual seria o seu pesadelo? E qual é o seu principal objetivo nesta temporada?

AT: Meu principal objetivo é me qualificar para o Games e melhorarminha colocação do ano passado. Meu evento dos sonhos seria algo como uma longa corrida de bike seguido de uma longa corrida. Meu evento pesadelo seria.....eu realmente não sei. Eu gosto de todos os desafios que são colocados no nosso caminho.
 

VERSÃO INTEGRAL EM INGLÊS

FULL VERSION IN ENGLISH

 


Quick Profile

Which CrossFit affiliate do you train? I train at T2 CrossFit, in Bridgeville, Southe Fayette, PA
How long have you been training CrossFit? I have been doing CrossFit for just over 5 years
What is your favorite Benchmark? Eva
What is your strength in CrossFit? Longer events
What is your weakness? Super heavy weights

 

HC: You are an Olympic gold medalist from the 2008 Summer Games! You went from sailing to CrossFit, also succeeding in CrossFit! How was this transition? How was being an Olympic level athlete helped in CrossFit? How different it is from competing at the olympic games to the CrossFit Games and which one do you prefer the most?
AT:Both experiences are completely different and I don't compare one to the other, you can't. The Olympic Games are amazing and were years and years in the works to accomplish it. It was a dream i had had ever since I was 12 years old and to accomplish it was amazing. The CrossFit Games is an amazing experience all unto itself. I love being able to participate in both amazing events.


HC: Every single time you did the open, you classified for the regionals. Every time you did the regionals, you classified for the Games. This is impressive! You only missed 2012 regionals to focus once more on the olympic games. How do you prepare yourself mentally and strategically to perform an open workout? Does this preparation changes significantly for regionals and Games, later on the season? Do you have a coach or do you do your own programming?
AT:Our training for the Opens is definitely different than that of Regionals and the Games. You can't put training on hold during the Opens, so we train through the opens, with Regionals and the Games in mind. Also, the game at Regionals and the Games is slightly different than that of the opens i think. I have a coach, my husband Brad Tobias, who does my programming. He has been my coach from day one.

 

HC: You went from 9th on your first year as a CrossFit athlete in '13, to 22nd in '14 and '15, to 10th last year! What changed from the previous years to 2016? And what are we to expect from you this year?
AT: The easy answer to that is that i wasn't injured or hurt.  in 2014 I tore my plantar during the triple 3's sprint to the finish, the 3rd event of the games so I couldn't walk that well after that.  In 2015 Murph beat me up pretty good and it wasn't until the last event that i really slipped out of the top 12.  So this past year we just really focused on staying healthy and set a lot of time on recovery.

 

HC: Do you have any advice for the ordinary athlete? I mean....when I am training and get fatigue, or it start to hurts, I slow down. As we watch you perform, we must ask...do you not feel sore or tired? How can you keep pushing yourself? And any advice for us to do the same?
AT: We definitley feel sore and pain...don't worry. We are all human. I like to try and tell myself that the sooner i'm done, the sooner the pain will be over. But also, for us we are competing against each other so the adrenaline helps take away some of the pain. In everyday workouts, set yourself a challenge that once you drop the bar, you will do a 5 count on your hand and then start working again. That way you won't take too long of a break. something simple like that.

HC: Do you have an specific diet? Being an athlete your entire life, I guess dieting was always part of your life. What do you eat on a day to day basis, for instance?
AT: I have always eaten healthy, but since i started CrossFit i have very much stuck to the paleo, and sometimes primal diet. I love how i feel on it and love the all day energy that i have. I very rarely get fancy with my diet, so i just eat a lot of veggies and chicken.

HC: Besides being an athlete, you are also a coach. Your experience as an athlete must be crucial to motivate your students. How do you do that? And how do you deal with students that want to push themselves to be an elite competitor as yourself and the regular students, that just want a better life?
AT: Being a coach it is my responsibility to know every students goals. That way when they are doing their strength or wod in class i can change my approach to them accordingly. I learned a lot of this from Brad, who is a phenominal coach. He knows how to motivate everyone just the right way based on their goals. Someone who wants to be elite, you are going to be a little tougher on them and push them to their limits a little harder. Someone who is there for a great workout out and just a better healthier life, then they get a "nicer" cheering on during a workout.

HC: What would be your dream event in the '17 Games? What would be your nightmare? And what is your main goal for this season?
AT: My main goal is to qualify for the Games and better my placement from last year. My dream event would be something like a long bike ride into a long run. Nightmare event would be...I don't really know. I enjoy all the challenges that are thrown our way.

Sabe aquela sensação de quase morte em certos W.O.DS? Então, tem explicação!

Sabe aquela sensação de quase morte em certos W.O.DS? Então, tem explicação!

Brasileiros no Qualifier: Categoria Master

Brasileiros no Qualifier: Categoria Master