O que podemos esperar da Central Regional?

O que podemos esperar da Central Regional?

Bom, para começar é a regional que se encontra agora Matt Fraser. Pelo que parece, ele saiu de onde morava e foi para o Tenessee para não pagar mais impostos sobre os prêmios que vem ganhando. E, considerando que ele teve a vitória mais dominante nas histórias dos Games no ano passado, acho que não vai ter ninguém páreo para ele. E olha que essa é uma regional complicada, com muitos atletas de altíssimo nível nela, o que nos mostra que ele não teme mais ninguém.

Para começar temos o veterano Scott Panchik, que já ganhou duas regionais em 2015 e 2016 e nunca terminou fora dos 6 primeiros em nenhuma das 6 vezes que participou dos CrossFit Games. Infelizmente, ele nunca conquistou um pódio nos Games e deve voltar com mais vontade para ir para a sétima vez.

Além dele teremos ainda os dois primeiros colocados ano passado. R. Paul Castillo e Streat Horner. Enquanto Horner teve um bom desempenho nos seus primeiros Games com um 14 lugar, R. Paul Castillo acabou ficando no 27º também em seu primeiro CF Games.

Outro veterano que vai disputar uma vaga é Alex Anderson, que já foi a 4 Games na categoria individual e duas vezes por times. Outro que vai querer ir para mais um Games, o terceiro de sua carreira, será Zak Carchedi, que terminou os regionals em 5º ano passado.

Mas nunca poderemos desprezar a presença de outros atletas de Games, como George Sterner de apenas 19 anos que ficou em segundo em 2016 na categoria 16-17 anos e Nicholas Urankar que participou dos Games em 2015.

Do lado feminino, duas atletas fortes abandonaram a região. Sara Sigmundsdottir já garantiu a sua vaga na Europe Regional. Stacie Tovar se aposentou ano passado nos Games em um momento emocionante deixando seus nanos na arena de competição. Logo, todos os olhos estarão voltados para Brooke Wells. Talvez não necessariamente pelo CF dela. Apesar de que temos que considerar a recuperação incrível que teve disputando os Games com um dedo quebrado. Além disso, ela também é treinada por Ben Bergeron, coach da Katrin Davidsdottir e de Matt Fraser.

Mas ela estará acompanhada de perto de Kristi Eramo, que tentará a ida para seu terceiro Games. Ela estreou em 2016 com um impressionante 8º lugar, e um 13º ano passado nos Games. Mas nos Regionals? Ano passado ela terminou apenas atrás da Sara e agora vai querer subir no primeiro lugar do pódio com certeza. Além dela, Jessica Griffith vai querer voltar aos Games. Ela ficou em 5º nos regionals ano passado e em 34º nos Games.

Com a saída de duas fortes concorrentes, pode ser a vez de Nicole Holcomb voltar ao Games ou ainda aparecer dois nomes ou mais novos esse ano. Vamos esperar para ver.

Ah sim... e de quebra essa é a região que a lenda Rich Froning vai competir por times.

O que podemos esperar da West Regional?

O que podemos esperar da West Regional?

Recapitulando os South Regionals

Recapitulando os South Regionals