Patrick Vellner, Tia-Clair Toomey e ROMWOD/WIT conquistam vaga para os CrossFit Games 2019

Patrick Vellner, Tia-Clair Toomey e ROMWOD/WIT conquistam vaga para os CrossFit Games 2019

Patrick Vellner, a duas vezes campeã dos CrossFit Games Tia-Clair Toomey e o time ROMWOD/WIT - formado por Jamie Greene, Jessica Griffith, Alec Smith e Cody Money - se unem a Mat Fraser, Samantha Briggs e o time da Invictus composto por Lauren Fisher, Regan Huckaby, Rasmus Andersen e Tommy Vinas como classificados para os CrossFit Games 2019.

A primeira prova, Circus Act, consistia numa sequência de hand stand walk com obstáculos e snatches pesados, que fizeram com que muitos não conseguissem finalizar a prova. A segunda prova, Robin,  era uma sequencia com chest to bar, calorias na echo bike, cleans terminando um front rack lunge.

Com o tempo de 4’34”, Pat Vellner ganhou a primeira prova desse domingo e, aliado a resultados ruins do segundo e terceiros colocados, Travis Mayer e Dakota Rager (ambos ficaram na 27a colocação), Vellner abriu mais de 100 pontos de vantagem antes da última prova e já estava coma vaga garantida. Quem veio bem nessa prova foi Noah Olsen que ficou na segunda colocação nessa prova e entrou na última em 4o lugar. E nessa última  prova quem quis garantir seu lugar mesmo foi o segundo colocado, Travis Mayer, que fez uma excelente prova e finalizou na primeira colocação. Assim, se Vellner acabar vencendo o Open pelo Canadá (ano passado ele ficou em segundo atrás apenas de Alex Vigneault), a vaga iria  para Mayer (se Vellner não ganhar mais nenhum evento sacionado). Dakota Rager quando vai bem, vai muito bem, mas quando vai mal….e foi o suficiente para perder a terceira colocação geral e colocar Noah Olsen no pódio na terceira colocação após uma excelente prova final. Finalizando a zona de convite do Brazil CrossFit Championship, temos Drew Wayman e Saxon Panchik. Dakota acabou ficando com a 6a colocação geral e portanto fora da zona de convite.

Tia-Clair Toomey destruiu a primeira prova do dia com um tempo de 3’38”. Mas acho que ela não contava com uma performance nada menos que espetacular de Dani Speegle que conseguiu cobrir o HSW e os snatches pesados rapidamente fechando 21” à frente de Tia. Mas aqui, a líder não conseguiu se distanciar o suficiente da segunda colocada Kari Pearce para garantir já a vaga. Contudo, 66 pontos à frente de Pearce a deixou bem confortável na última prova. Tanto a terceira quanto a quarta colocada, Kristen Holte e Sara Sigmundsdottir, respectivamente, sofreram nessa primeira prova e ficaram sem chances de classificação quando entraram para a última prova, Robin. Mas Sara se recuperou na última prova e acabou finalizando na terceira colocação e ficando com o terceiro lugar geral. Com uma boa prova, Pearce manteve a segunda colocação geral. Mas foi Tia-Clair quem brilhou mais uma vez e com mais um primeiro lugar ela garantiu sua ida aos CrossFit Games 2019. Finalizando a zona de convite para o BCC temos Kristin Holte e Dani Speegle.

Na competição de times, a prova circus act era um pouco diferente. Primeiro iam as mulheres e faziam double unders, passavam pelo obstáculo em hsw e ai tinham que encontrar um máximo de clean and jerk. Depois os homens faziam o mesmo. A pontuação foi dividia em duas, uma para o tempo em que todos passam pelo obstáculo e outra pela carga total. A equipe líder até então, a ROMWOD/WIT,  teve sua piores colocações, com um 3o e um 5o lugar. Mas suficientes para entrarem na última prova do dia com 45 pontos de vantagem. O segundo colocado é o mesmo time que ganhou a vaga no campeonato de Dubai e o terceiro, que tem uma ex campeã dos Games, Camille Leblanc-Bazinet como componente, precisaria de um verdadeiro milagre para roubar a vaga. No último WOD, eles precisavam fazer 80 ring muscle up ao mesmo tempo que os homens tinha que fazer 80 cal na echo bike e as mulheres 60. Depois, ainda teria mais 21-15-9 de syncro power snatch com 115/80 lbs e burpees over the worm, finalizando com 30 clean and jerks com a worm. E o time liderado por Alec Smith foi o primeiro a chegar no worm para os cleans and jerks. Mas sofreu muito e acabou na 9a colocação geral. A sorte deles é que o time na segunda colocação, Lesser Evil, acabou terminando a prova em 4o e a diferença de pontos conquistada antes foi suficiente para dar a ROMWOD/WIT a vaga para os CrossFit Games 2019.

Brasileiros no Wodapalooza

Pablo Chalfun não foi bem na primeira prova do dia e a abandonou durante os snatches com 255 lbs. Ele finalizou a última prova na 33a colocação e assim obteve a 31a colocação geral.

Nos times Rx Feminino,  a manhã começou com uma chuva forte, o que ocasionou o cancelamento da prova Robin, que seria feito primeiro para elas. Restou apenas a circus act. As duas equipes tiveram problemas com a rampa de hand stand walk e não finalizaram a prova e não pontuaram nas cargas. Na verdade, isso aconteceu com a maioria esmagadora das equipes, pois elas ficaram na 14a colocação geral nas duas. PWRD GIRLS BY COFFEE finalizou na 50a colocação geral e o TEAM HOPPER MOEMA na 60a colocação geral.

Os masters Sirlei Oliveira e Liemerson Caparolli acabaram, respectivamente, na 13a e 7a colocação geral. Os jovens de 13-15 anos, Gabriel Oliveira e Pedro Zarbim, finalizaram na 6a e na 12a colocação geral, respectivamente.

Você faz CrossFit? E não faz mais cardio?

Você faz CrossFit? E não faz mais cardio?

Receita: Ceviche de tilápia com chips de Batata doce!

Receita: Ceviche de tilápia com chips de Batata doce!