Ela já está classificada para os CrossFit Games 2019: conheça Mekenzie Riley

Ela já está classificada para os CrossFit Games 2019: conheça Mekenzie Riley

Ela disputou os regionais 4 vezes por times, conseguindo a classificação apenas em 2016 com o time OC3 Black, que terminou em 5o naquele ano nos CrossFit Games. Mas Mekenzie Riley sempre quis ir na categoria individual e ela conseguiu se classificar para os games nos dois anos seguintes, 2017 e 2018, tendo a melhor classificação um 18o lugar ano passado. Mekenzie (@itskenzieriley) já se classificou para os CrossFit Games esse ano de 2019 pelo Open (11a colocada mundialmente), mas ela também está confirmada no Brazil CrossFit Championship, evento sancionado pela CrossFit que ocorrerá em Maio em São Paulo. Ela deu uma entrevista para a gente do Hugo Cross e você pode acompanhar a seguir:

Nome: Mekenzie Riley Qual afiliado da CrossFit você treina? CrossFit Northlake
Há quanto tempo você treina o CrossFit? desde 2012 Qual é o seu benchmark favorito? o simulador de vôos Simulator conta? ;)
Qual é a sua força no CrossFit? Minha capacidade de correr minha própria corrida.
Qual é a sua fraqueza no CrossFit? A atleta não respondeu
Quais são os 3 devem carregar objetos em sua bolsa de ginástica? Fita, voodoo floss, grips ginásticos da Bear Komplex

HC: A maioria dos atletas de elite da CrossFit tem formação esportiva. Qual é o seu histórico esportivo e como o CrossFit entrou em sua vida?

Eu fui uma nadadora competitiva toda a minha vida, continuando até na faculdade. Meu marido e eu nos mudamos para uma nova cidade e ouvimos sobre esse novo programa de exercícios chamado CrossFit de um dos meus colegas de faculdade que vinha fazendo isso. Nós nos mudamos para o nosso apartamento e nos juntamos à nossa primeira academia CrossFit no mesmo dia.

HC: Você se classificou para a sua primeira regional em 2013 como membro de uma equipe, após o seu primeiro Open, que já era incrível. Você foi 3 vezes mais como membro de uma equipe para finalmente ganhar uma vaga nos CrossFit Games em 2016 com a equipe OC3 Black. Na sua primeira experiência nos Jogos, você terminou em 5º lugar geral com o OC3 Black. Você gostou de competir em equipes? Como foi essa experiência?

Eu sabia que sempre tentaria ser uma atleta individual. Em 2015, nossa equipe, Team Rollins, foi a melhor equipe do mundo. Tivemos um acidente muito lamentável no último dia de Regionais em que uma colega de equipe quebrou o joelho, no meio da área de competição, quando íamos vencer a região e nos classificar para os Games. Eu sabia que o tanto que a equipe tinha trabalhado durante toda a temporada e um acidente nos tirou dos CrossFit Games. Mesmo que eu estivesse planejando ir individual em 2016, eu sabia que tinha que dar uma chance a este time mais uma vez. Você não pode descrever a sensação de pisar no chão dos CrossFit Games depois do desgosto que todos nós sentimos no ano anterior. Eu não iria nessa experiência de equipe de volta, mas eu sabia o que meu coração queria ... e isso é ser uma atleta individual do CrossFit Games.

HC: Você decidiu competir na categoria individual. Em 2017, no seu primeiro regional nesta categoria, você já se classificou para os Games, terminando em 23º lugar geral. Você voltou aos Games em 2018 e terminou em 18º geral. O que mudou de um ano para o outro? Mais experiência ou você alterou seu treinamento?

Com a experiência traz confiança. Então, em última análise, é a experiência e uma compreensão mais profunda de mim mesma como atleta. Eu aprendo mais sobre mim mesma a cada dia que eu treino, então tomar o que eu aprendo e permanecer disposta a construir sobre ele me forçando a me manter desconfortável no treinamento, me empurra para novos limites ... que TAMBÉM constrói confiança!

HC: Como você se prepara todos os anos como atleta? Qual é o seu horário de treino diário? Isso muda perto do Open e dos Games?

Eu avaliei as áreas em que sofri na temporada anterior. É clichê dizer "trabalhei nas fraquezas", mas isso é exatamente o que eu fiz. Comecei a aproveitar a entressafra para resolver qualquer problema grave com lesões e conversar com outras pessoas que pudessem me ajudar como atleta. Eu tenho um treinador de ginástica, um treinador de mindset, o trabalho normal do corpo, etc Meu treinamento diário é realmente "um empregointegral". Eu estou no box durante a maior parte do dia começando e terminando com o aquecimento e esfriamento. O Open é uma competição de cinco semanas, então a recuperação é equilibrada com o treinamento. O treinamento para os Games é tão imprevisível que é o mais divertido. A grande variedade de testes que os Games traz, me leva a treinar menos “CrossFit clássico” e mais fora do treinamento de academia.

HC: Você competiu no Wodapalooza CrossFit Festival com o Team Misfits e agora você vem ao Brasil para competir na categoria individual. Quais são os seus pensamentos sobre esta nova temporada do CrossFit? Você gostou?

Há eventos sancionados de outubro a junho para decidir onde competir. É muito diferente e um pouco confuso / estressante tentando planejar a melhor abordagem para a temporada. Acho legal que haja tantas competições maiores em nosso esporte, mas também acho que há muitas inconsistências nesse novo sistema que espero serem resolvidas com o tempo. Eu gosto da oportunidade de competir mais e fazer competições em equipes e individuais, se desejar.

HC: Você já veio ao Brasil? Quais são as suas expectativas para vir aqui e competir no Brazil CrossFit Championship?  

NÃO! Primeira vez aí :) Estou muito animada para ter essas oportunidades, embora fazendo algo que eu amo e sou apaixonada. Eu nunca sonhei em viajar pelo mundo apenas para treinar :) Estou aqui para ganhar, é claro!

HC: O que teremos no futuro e o que podemos esperar da Mekenzie Riley este ano e anos a frente?

Eu tento me concentrar no presente e trabalhar em direção ao objetivo atual, absorvendo cada momento da jornada, então falar sobre o futuro é sempre algo a determinar. Dito isto, há alguns outros objetivos e aspirações que eu ainda quero alcançar nessa fase da minha vida e isso eu vou decidir no final da temporada, se é hora de se aproximar deles ou não. Então ... algo a se determinar. Mas você pode esperar com certeza que eu esteja nesta esfera do CrossFit para sempre!

FULL ENGLISH VERSION

Name:  Mekenzie Riley
Which CrossFit affiliate do you train? CrossFit Northlake
How long have you been training CrossFit?  since 2012
What is your favorite Benchmark? does Flight Simulator count? ;)
What is your strength in CrossFit? My ability to run my own race.
What is your weakness in CrossFit? A atleta não respondeu
What are the 3 must carry objects in your gym bag? Tape, voodoo floss, Bear Komplex gymnastic grips

HC: Most elite CrossFit athletes have a sport background. What is your sports background and how CrossFit came into your life?

 I was a competitive swimmer my entire life, even continuing into college.  My husband and I moved to a new city and we heard about this new exercise program called CrossFit from one of my college teammates who has been doing it.  We moved into our apartment and joined our first CrossFit gym on the exact same day.

HC:You qualified for your first regional in 2013 as a member of a team, after your first Open, which was already amazing. You went then 3 more times as a member of a team to finally earn a spot at the CrossFit Games in 2016 with the team OC3 Black. At your first experience at the Games, you finished in 5th overall with OC3 Black. Did you like to compete in teams? How was that experience?

I knew I would always attempt to be an individual athlete.  In 2015, our team, Team Rollins, arguably, was the best team in the world.  We had a very unfortunate accident on the last day of regionals that a teammate broke her knee, middle of the competition floor, when we were going to win the region and qualify for the games. I knew the team worked so hard all season for a freak accident that kept us all from the CrossFit Games. Even though I was planning to go individual in 2016, I knew I HAD to give this team one more go.  You can’t describe the feeling of stepping on the floor of the CrossFit Games after the heartbreak we all felt the year before. I would not take that team experience back, but I knew what my heart wanted...and that is to be an individual CrossFit Games athlete.

HC: You then decided to compete as an individual. In 2017, at your first regional as an individual you already qualified for the Games finishing in 23rd overall. You went back to the Games in '18 to finish in 18th overall? What changed from one year to the other? More experience or did you alter your training?

With experience brings confidence. So, ultimately, it is experience and a deeper understanding of myself as an athlete. I learn more about myself each day I train, so taking what I learn and remain willing to build on it by pushing myself and forcing myself to keep being uncomfortable in training pushes me to new limits...which ALSO builds confidence!

HC: How do you prepare yourself every year as an athlete? What is your daily training schedule? Does it change close to the Open and Games?  

I evaluated the areas where I feel were struggles in the previous season. It is cliche to say “worked on weakesses” but that is exactly what I did. I started taking the off season to address any major issues with injuries and to talk to others who may help me as an athlete. I got a gymnastics coach, a mentality coach, normal body work, etc.  My daily training really is “a full time job”. I am at the gym for a majority of the day starting and ending with at horough warm up and cool down. The open is a five week long competition, so recovery is balanced with training. Training for the Games is so unpredictable, it is the most fun. The wide variety of tests that the Games brings, brings me to train less “Classic CrossFit” and more outside the gym training.

HC: You compete at the Wodapalooza CrossFit Festival with Team Misfits and now you are coming to Brazil to compete as an individual. What are your thougths on this new CrossFit season? Did you like it?

There are sanctionals events from October to June to decide where to compete. It is very different and somewhat confusing/stressful trying to plan out the best approach to the season. I think it’s cool that there are so many bigger competitions in our sport, but I also think there are a lot of inconsistencies in this new system that I hope get ironed out with time. I do like the opportunity to compete more and take both team and individual routes, if desired.

HC: Have you ever come to Brazil? What are your expectations for coming here and competing at Brazil CrossFit Championship?

NO! First timer here :) I am just excited to be afforded these opportunities though doing something I love and am passionate about. I never dreamed Id travel the world just to workout :) I am here to win of course!

HC: What is in the future and what can we expect from Mekenzie Riley this year and years to come?

I try and focus on being present and working toward the current goal, taking in every moment of the journey, so talking about the future is always “TBD.” That being said, there are some other goals and aspirations I have yet to pursue at this stage in my life and I’ll decide at the end of the season if it time to move closer toward those or not. So...TBD. But you can absolutely expect that Ill be in this CrossFit sphere forever!

Ele é uma das pessoas mais conhecidas no CrossFit Brasileiro: Lucas da Rosa

Ele é uma das pessoas mais conhecidas no CrossFit Brasileiro: Lucas da Rosa

Atletas não terão mais que usar os tênis da Reebok nos CrossFit Games

Atletas não terão mais que usar os tênis da Reebok nos CrossFit Games