Finanças: Quanto sai uma classificação para o CrossFit Games? Vale a pena?

Finanças: Quanto sai uma classificação para o CrossFit Games? Vale a pena?

Em um artigo originalmente escrito para a BoxLife Magazine, Audrey Carson analisa o que realmente custa ir para o CrossFit Games para o atleta mediano, como Sean Sweeney e Meredith Root.

Aproveitamos o tema e entramos em contato com a nossa representante Brasileira no CrossFit Games de 2019, Renata Pimentel (@renatappimentel), e para Renata deixar o emprego de Defensora Pública no Ceará e se dedicar 100% ao CrossFit não é uma opção. (leia aqui a entrevista que fizemos com Renata o ano passado)

“Pra mim nao tem a menor condição de largar o trabalho e viver de crossfit. Os patrocinios suprem apenas parte dos gastos que a gente tem com a rotina e viagens. Mas o que me motiva a praticar e a competir eh o gosto pelo esporte... a vontade de se provar que pode... a vontade de vencer barreiras e de dar exemplo pra muita gente! So que pra mim, existe o outro lado, onde sou bem remunerada pela minha profissão de Defensora Pública e por isso não valeria a pena largar pra me dedicar exclusivamente ao esporte! Teria que ter patrocinios mais expressivos... e ainda tem a questão de minha estabilidade no funcionalismo publico, que JAMAIS trocaria por nada! Outro fator importante a ser pensado também é o “pós” vida de atleta... que sabemos que no Brasil não existe nenhum planejamento de vida pra ex atleta!” Atleta Renata Pimentel

Tenha uma idéia dos custos que a Renata tem hoje em dia tirando todos os custos de inscrição por evento e custos de viagem:

  • Nutricionista R$550 (3 em 3 meses)

  • Nutrologo R$600 (3 em 3 meses)

  • Fisioterapeuta R$600 (gasto mensal)

  • Suplementacao R$2000 mil (mensal)

  • Roupas e acessórios R$1000 mil

Se levarmos em conta uma viagem de Fortaleza para Madison e colocamos 10 dias de hospedagem. O valor rapidamente chega a R$20mil reais. E isso é só uma competição.

Leia abaixo a tradução na íntegra do artigo da Audrey Carson:

Bilhete só de ida para Madison, Wisconsin: US $ 500

Onze noites em um hotel perto do Alliant Energy Center[Local onde acontece o CrossFit Games]: US $ 3.000

Para todo o resto: Bem, sim, você também vai engolir esses custos. E você já viu o quanto os atletas do CrossFit comem?

Esta é a verdade que os atletas de alto nível do CrossFit enfrentam, e - muito parecido com o dinheiro que estão gastando para competir - é difícil e frio.

Como qualquer esporte profissional, para competir no nível mais alto do CrossFit, os atletas devem dedicar seus dias a treinamentos e recuperações, alimentando-se adequadamente e pesquisando as melhores maneiras de obter uma vantagem sobre seus concorrentes.

Ao contrário de muitos esportes profissionais, esses atletas não recebem uma compensação regular para fazê-lo - exceto pela vitória ocasional em competições. E na maioria das competições, você precisa pelo menos do pódio para receber qualquer tipo de pagamento. Realmente, você tem que vencer para sair na frente, com o custo de viagens e salários perdidos consumindo seus ganhos. Veja o Wodapalooza CrossFit Festival, por exemplo: os vencedores individuais receberam US $ 25.000, com o segundo lugar em US $ 15.000 e o terceiro em US $ 10.000. Um atleta teria que subir ao pódio várias vezes em um ano para obter uma renda que desse para viver - e isso sem o custo de viajar e treinar.

“A coisa louca sobre o CrossFit é que devemos treinar e fazer tudo como se fossemos atletas profissionais pagos”, disse Sean Sweeney, atleta que já foi duas vezes ao CrossFit Games. “Mas somos realmente apenas entusiastas. Fazemos zero dólares fazendo CrossFit. "

Pesando o custo: medalha de ouro ou algemas de ouro?

Então, se os CrossFitters não estão ganhando dinheiro com o CrossFit, como eles estão pagando por tudo? A maioria, como Sweeney e a atleta do Games de 2018, Meredith Root, trabalham e / ou possuem uma academia de ginástica, no mínimo. Como esses dois, alguns trabalham em vários empregos. Mas se eles querem competir com os atletas mais aptos do mundo, algo tem que ficar pra trás, e isso normalmente é um trabalho típico de 9-5.

Depois de seis anos em um trabalho de engenharia farmacêutica que pagava muito bem, Root deu uma guinada para o CrossFit em tempo integral em 2016. O que ela deixou de ganhar em salário e benefícios, ela ganhou em um estilo de vida que ela ama.

“Ser inteligente financeiramente por esses seis anos enquanto trabalhava permitiu-me fazer as coisas que eu realmente gosto em tempo integral, porque eu definitivamente não estou ganhando dinheiro fazendo isso[CrossFit],” disse Root. “Não é como se eu estivesse treinando oito horas por dia. Para mim, o CrossFit em tempo integral é gerenciar uma academia e treinar três vezes ao dia e ainda dar muita aula. ”

Para Root, a aposta de deixar um emprego estável valeu a pena, competitivamente: ela saltou de atleta de nível regional para se classificar para o Games em dois anos. Naquela época, ela também se mudou da Carolina do Norte para Calgary, Alberta, Canadá, para morar com sua namorada, Alex Parker - também atleta regional e dos Jogos Olímpicos de 2015. As duas lançaram sua própria empresa de treinamento em nutrição, a Tactic Functional Nutrition . 

Sweeney, conhecido como o CrossFit Cowboy, também possui suas próprias empresas - CrossFit Powerstroke em Fallon, Nevada e The Musclestache , uma ferramenta de alívio muscular em forma de um bigode. Mas tempo é dinheiro, e quando ele está longe competindo, as despesas começam a subir, mesmo em casa.

Sua viagem para competir no Fittest in Cape Town  custou a ele aproximadamente US $ 5.000, disse Sweeney. Enquanto ele venceu a competição, os ganhos - que chegam a cerca de US $ 4.500 - não cobrem o custo. E isso não é nada comparado com o  dinheiro que suas empresas perdem em sua ausência.

"Eu não me pago através de minhas academias ou Musclestache", disse Sweeney. "Então, quando estou treinando e quando estou dirigindo o negócio, sou uma mão-de-obra barata, mas quando tenho que preencher minhas lacunas, isso é incrivelmente caro."

16 eventos sancionados, 11 países, 7 meses - Um vencedor

Antes deste ano, o caminho para o CrossFit Games era uma linha reta, com três marcos: o Open, os Regionais, o Games. Para atletas Masters e Teens, substitua Regionals por Online Qualifier. Para os atletas americanos, a localização regional geralmente não passava de um dia de viagem ou, possivelmente, um vôo curto. Você pagava por um hotel por um longo fim de semana - talvez a semana, se você tivesse sorte de ter dias de folga suficientes. E no final, você sabia que precisava juntar fundos suficiente para chegar a Madison [Tudo dentro dos Estados Unidos].

Com o fim dos Regionais, o caminho para o Games deste ano parece mais uma rota cênica. Se você não está entre os 20 primeiros colocados do Open, como Mat Fraser ou Tia-Clair Toomey, ou garantido para se qualificar por ser o mais apto em seu país, como Laura Horvath, da Hungria, você terá que ganhar um evento sancionado. Há dezesseis para escolher na temporada de 2019, espalhados por onze países diferentes e sete meses. Os atletas agora devem criar estratégias sobre quais eventos participar - e quantos podem pagar.

"Há pessoas que precisam de Regionals para se qualificar para o Games, e eu caio nessa categoria de atletas", disse Root. “É improvável que eu ganhe um evento sancionado. Eu não vou pagar para viajar para um monte dessas coisas. Eu não vou pagar para ir a cinco eventos sancionados. Não posso pagar, não quero.”

“Mas esses atletas que têm esses grandes patrocinadores, se vacilarem e perderem a qualificação, podem ir para outro evento, enquanto a beleza dos Regionais era que você tinha uma oportunidade de se apresentar no seu melhor. E se você não desse o seu melhor quando precisava, não poderia ir ao Games.”

Sweeney, que venceu a Regional Sul no ano passado, competiu em Wodapalooza e Fittest in Cape Town este ano. Enquanto ele ganhou um convite para Madison na Cidade do Cabo, ele não poderia ter proporcionado a viagem sem financiamento de um patrocinador local.

 Com este novo formato, tá meio  que se transformado nos Finance Games, e não no CrossFit Games. É como quem tem o apoio para poder viajar ”, disse Sweeney. “Vamos apenas usar Miami e Cape Town como exemplos. Em ambas as competições, há entre 10 e 20 veteranos do CrossFit Games em cada divisão de homens e mulheres que estão lutando por um ponto. Então, você pode ter o melhor fim de semana de sua vida e ser superado por uma outra pessoa e não chegar ao Games... Quantas vezes você pode fazer isso por ano? Quantas vezes posso fugir?

O outro lado da moeda - e talvez uma recompensa

Quando o CEO da CrossFit, Greg Glassman, anunciou o fim dos Regionais e grandes mudanças no Games, ele tinha dois objetivos: globalizar o Games da mesma maneira que seus afiliados haviam experimentado o crescimento global e economizar dinheiro.

“É extremamente caro. Veja o evento no Brasil. Estamos no local onde as Olimpíadas foram realizadas. Isso me custou mais de um milhão de dólares e o que sai disso é que 2 pessoas vão ao Games”, Glassman disse ao Morning Chalkup .

Sua solução foi a parceria com eventos previamente existentes como uma porta de entrada para o Games. Sweeney apontou que isso pode abrir a porta para muitas empresas menores, como linhas de suplementos ou marcas de roupas de fitness, para obter seus nomes por meio de patrocínios de atletas em vez de competir com os marmanjos no Games.

“Talvez essa seja a escolha certa, talvez a possibilidade de realizar esses 16 eventos sancionados em todo o mundo e conseguir incluir as marcas menores em um cenário maior permita que os patrocínios floresçam”, disse Sweeney. “Há muitos resultados potenciais para isso, acho que muitos deles são bons, e só vai tomar as decisões corretas para chegar lá, eu confio neles. "

Parabéns! Agora você pode começar sua captação de recursos

Então, digamos que você garanta a sua vaga para o Games. Agora você é responsável por pagar a conta:

  • Passagem aérea ou viagem (Root pagou US $ 500 por um voo só de ida e alugou um carro na chegada, outros US $ 200 ou mais)

  • Hotel estadia, variável dependendo de quanto tempo (o Edgewater, o hotel atleta em Madison, foi um pouco mais de US $ 200 / night, não incluindo impostos e taxas)

  • Praticamente toda a sua comida - comprada preparada em uma loja de alimentos naturais ou encomendada por uma empresa de alimentos preparados, já que a maioria dos atletas não tem como prepará-la. US $ 10 - US $ 15 / refeição.

Sweeney e Root mencionaram que usaram arrecadação de fundos no ano passado em suas academias e na comunidade para compensar os custos de ir ao Games. Mas… e se a comunidade quiser vir com você?

Se você assistiu à cobertura do Games no ano passado, provavelmente viu a seção de torcida de Sweeney com placas e chapéus “CrossFit Cowboy” para combinar. Em 2016 e 2018, a mãe de Sweeney pagou para que sua família viajasse para o Games.

"Minha mãe é a mais legal", disse Sweeney. "Todo ano que eu vou pro Games, para trazer minha família para lá e tudo ela gasta de vinte e cinco a trinta mil dólares, e isso é loucura."

Pelo menos a família de Sweeney conseguiu assistir quatro dias de competição e se ocupar na viagem. Este ano, eles podem não ter tanta sorte. Embora números específicos não tenham sido divulgados, parece que cerca de 200 atletas em cada divisão se qualificarão para o Games, a maioria através da qualificação campeão do país pelo Open.

O livro de regras de 2019 declara: “Conforme a competição do Games se desenrola, apenas os atletas e equipes mais bem classificados podem ser selecionados para continuar na competição.” Portanto, há uma boa chance de centenas de atletas serem mandados para casa depois do primeiro ou segundo dia. Muitos terão que considerar se o custo de reivindicar seu cobiçado lugar em Madison valerá a carga financeira.

E se não for?

"O CrossFit Games não são minha identidade", disse Root. “Não me identifico como atleta do CrossFit Games - identifico-me de muitas outras maneiras. Não é o fim do meu mundo. Nem mesmo perto."

* Artigo originalmente escrito para a revista BoxLife por Audrey Carson.
Leia aqui:
http://fiercelyaudrey.com/2019/04/17/the-finance-games-the-true-cost-of-a-ticket-to-madison/ 

Sorvete de Pasta de Amendoim

Sorvete de Pasta de Amendoim

Ele é uma das pessoas mais conhecidas no CrossFit Brasileiro: Lucas da Rosa

Ele é uma das pessoas mais conhecidas no CrossFit Brasileiro: Lucas da Rosa