Ela é a campeã argentina no Open: conheça Melina Rodriguez

Ela é a campeã argentina no Open: conheça Melina Rodriguez

Melina Rodriguez teve uma carreira meteórica no CrossFit. Em seu primeiro Open ela já se classifica para os Regionais por times, com o time da CrossFit Bigg. Esse mesmo time termina os regionais em 3o lugar e se torna o primeiro time da América Latina a competir nos CrossFit Games após o fim dos regionais da AL em 2014. Lá, eles ficam com um impressionante 18o lugar em sua primeira participação. Mas Melina decidiu ir solo em 2018 e por pouco não garantiu a vaga conseguindo a 2a colocação geral nos regionais da América Latina. Assim como ano passado, esse ano ela foi a campeã nacional do Open na Argentina e garantiu dessa vez sua classificação para a elite individual dos CrossFit Games em 2019. Ela também foi a mais bem classificada nos online qualifier do Brazil CrossFit Championhsip e está vindo competir em Maio em São Paulo. Fizemos umas perguntas a ela, traduzidas para envio e traduzidas na resposta, pela nossa grande amiga Flor Bossio (@memeica), argentina radicada no Brasil, e por isso agradecemos de coração o trabalho que ela teve. Veja como ficou:

Nome: Melina Rodriguez
Box que treina: 
ThunderBox
Há quanto tempo treina CrossFit?  Há 5 anos
Qual o seu benchmark favorito? Diane e Amanda
Qual seu ponto forte no CrossFit?  LPO pesado
Qual o seu ponto fraco no CrossFit?  A atleta não respondeu
Quais são as 3 coisas que tem que ter na sua mala de academia? Meus grips, munhequeira, corda e joelheira, tudo para começar meu treino

HC: A maior parte dos atletas de elite do CrossFit tem um background esportivo. Qual seu background e como começou no CrossFit?

Eu sempre fiz esporte desde criança, quando tinha 4 anos fiz ballet, depois eu conheci a ginástica artística e acrobática. Treinava os dois ao mesmo tempo. Aos 7 anos escolhi me dedicar a ginástica artística de maneira profissional, até os 17 anos. Após várias lesões, escolhi parar e fazer algum outro esporte. Isso foi no final de 2013, em março de 2014 comecei crossfit.  Para mim esse nosso esporte incrível, por mais ainda não seja reconhecido como tal, foi um antes e depois na minha vida. Em dezembro de 2015 depois de ganhar meu primeiro Southfit em RX, decidi voltar a dedicar minha vida ao esporte, voltei a ter sonhos esportivos pelos quais lutar. Hoje depois de 5 anos., tenho novamente essa sensação de acordar todo dia sabendo que tenho um compromisso comigo, um sonho a cumprir, objetivos a atingir, vontade de crescer, aprender e por cima de tudo viver e aproveitar cada experiencia que o crossfit me traz.  

HC: Você disputou o seu primeiro regional por times em 2017 e já conseguiu uma classificação para os CrossFit Games daquele ano ocupando a 18a colocação geral. Como foi essa experiência tanto de regionais quanto de Games para você?

Foi incrível, uma experiencia única. Eu era mais nova e não tinha muita experiencia. Foi meu primeiro open no qual disputava uma vaga individual e por time, meu primeiro regional e meu primeiro game em time. Foi tudo uma caixa de surpresas, consegui desfrutar e aprender com tudo o que aconteceu comigo em cada um desses três estágios. 

HC: Ano passado você optou por ir no individual nos Latin American Regionals. Por que a mudança de time para individual? Qual que você gostou mais de competir? Apenas 12 pontos separou você da Brenda Castro que acabou levando a vaga. O que isso representou para você naquele momento?

Escolhi ir no individual porque sempre pratiquei esportes individuais, eu me sinto mais confortável e segura competindo sozinha. Eu gosto também competir em time, mas meu sonho são os games individual.

Acredito que o regional me mostrou que estou no caminho certo, que existe um objetivo claro, que é chegar nos Games e, a longo prazo, disputar o pódio como as melhores do mundo. E um grande objetivo, que contem outros menores dentro, e o regional me fez aprender muito, identificar  que coisas mudar para me aproximar do meu objetivo.

HC: Esse ano a temporada mudou e os campões nacionais de cada país ganham uma vaga para os CrossFit Games. faltando apenas um wod, essa vaga já é praticamente sua. Você se encontra com 6 pontos, uma liderança de 18 pontos para as segundas colocadas Paula Leyes e Augustina Haag. Além disso, você teve um desempenho impecável com 3 primeiros lugares no 19.2- 19.4 e um terceiro no 19.1. Como você tem enfrentado cada workout do Open? Você os refaz muitas vezes?

Eu não sou muito a favor de refazer os wods, tento analisar o que tenho que fazer com todo meu time, achar a melhor estratégia para que funcione na primeira vez. Se isso não for suficiente, eu refaço, mudando o que tenha que mudar. Eu enfrento cada wod do open como se fosse único, movimentos diferentes, tempos diferentes, emoções diferentes, estratégias.

Eu vivo cada wod como se fosse uma final, com todo meu time ao redor, cada um deles no seu lugar, com a sua tarefa e todos juntos fazemos o wod. Eu executo os movimentos, mas eles estão ali comigo, contando as reps, verificando estratégias, e o melhor... o final do wod, qualquer que seja o resultado, eles estão ali junto comigo, sempre, pensando sempre em fazer o melhor de novo na próxima batalha.

HC: Eu percebi que você colocou todos os vídeos dos seus workout já no site da CrossFit. Não só você como também a Paula Leyes e a Augustina Haag também colocaram seus vídeos. Foi algo combinado? Isso não é obrigatório pela CrossFit, por que essa atitude?

Escolhi isso porque eu não competi para nenhum box afiliado

HC: Você se classificou em primeiro nos qualifiers online do Brazil CrossFit Championship (BCC). Mesmo se você garantir a vaga pela Argentina, você pretende vir competir?

Vou competir sim, e uma competição muito importante que me ajuda a ganhar mais experiencia do lado de grandes atletas.

NOTA: ESSA ENTREVISTA FOI FEITA ANTES DO RESULTADO FINAL DO OPEN.

HC: Qual a sua expectativa para o BCC? Qual seria o workout dos seus sonhos no BCC? E qual seria seu pior pesadelo?

A atleta não respondeu.

HC: Por fim, o que podemos esperar de Melina Rodriguez para os próximos anos de CF?

Eu não sei quanto que vai demorar, mas meu objetivo é brigar por um lugar no pódio com as melhores atletas do mundo. Eu tenho certeza que com o apoio da toda minha equipe, a torcida de Thunderbox e toda a galera que me apoia, eu vou conseguir. 

Entrevista completa en español

Nombre: Melina Rodriguez
Box donde entrena: ThunderBox
¿A cuánto tiempo entrenas Crossfit?: Hace 5 años.
Cuál es tu benchmark favorito? Diane y Amanda
Cuál es tu punto fuerte en Crossfit? La barra pesada
¿Cuáles son las 3 cosas que no pueden faltar en tu mochila de entrenamiento? Mi bolso con calleras, muñequeras, soga, rodilleras. Zapatillas para entrenar. La cross para arrancar mi entrenamiento. 

HC: La mayoría de los atletas elite de Crossfit tienen un historial deportivo. ¿Cuál es su historial y como empezó Crossfit?

Siempre hice deporte desde chica. a los 4 años hacia danza, despues conoci la gimnasia artistica y aerobica. practicaba ambos deportes a la vez. A los 7 decidi dedicarme a gimnasia artistica, donde lo desarrolle de manera profesional, hasta los 17 años. Luego de varias lesiones, decidi retirarme, y hacer otro deporte. Esto fue fines del 2013, y en marzo del 2014 arranque con crossfit. Fue un antes y un despues en mi vida este hermoso deporte, aunque todavia no se lo reconozca como tal. En diciembre del 2015 luego de haber ganado mi primera southfit en rx, decidi volver a dedicar mi vida al deporte, volver a tener sueños deportivos por los cuales pelear. Volver a soñar grande y asumir el compromiso que representa. Hoy en dia, 5 años despues, me encuentro nuevamente con esa sensacion de despertarme a la mañana, sabiendo que tengo un compromiso conmingo, un sueño por cumplir, objetivos por tildar, ganas de crecer, aprender y sobre todo vivir y disfrutar cada experiencia que me regale el crossfit.

HD: Disputaste tu primer regional por equipo em 2017 y conseguiste la clasificación para los Crossfit Games de ese mismo año ocupando la 18ª posición en la clasificación general. ¿Cómo fue esa experiencia tanto de las Regionales como de los Games para vos?

Fue increible. A nivel personal, me llevo una experiencia unica. Era chica y tenia mucha menos experiencia. Fue mi primer open en el cual peleaba por clasificar tanto en equipo como individual, primer regional y primer game en equipo. Todo fue como una caja de sorpresas, la cual pude disfrutar y aprender de todo lo que me paso en cada una de estas tres etapas. 

HC: El año pasado elegiste ir como individual a los Latin American Regionals. ¿Porque ese cambio de equipo a competir como individual? ¿En cual formato te gustó más competir? Apenas 12 puntos te separaron de Brenda Castro que terminó clasificando. Ese momento, que representó para vos?

Decidi ir en individual, porque siempre hice deportes individuales, me siento mas comoda y segura compitiendo sola. Disfruto mucho competir en equipo, pero mi sueño son los games individual. 

Creo que ese regional me demostro que estoy en el camino correcto, que hay un objetivo claro, que es llegar a los games, y a largo plazo pelear la punta con las mejores del mundo. Es un objetivo a largo plazo, con pequeños objetivos dentro del mismo. Me sirvio mucho para aprender, para seguir modificando cosas que me acerquen a mi objetivo. 

HC: Este año la temporada cambió y los campeones nacionales de cada país ganan un lugar para los Crossfit Games. Faltando solo un WOD, ese lugar es prácticamente tuyo. Estás con 6 puntos, una diferencia de 18 puntos con las atletas que están en segundo lugar Paula Leves y Agustina Haag. Además de esto, tenés un desempeño impecable con los 3 primeros lugares en el 192 – 19.4 y un tercero en el 19.1. ¿Como enfrentaste cada workout del Open? Repetís muchas veces cada wod?

No soy muy partidaria de repetir los wods, trato de analizar lo que me toque hacer con todo mi equipo, buscamos la mejor estrategia para que funcione la primera vez. Si no alcanzo, lo repito, modificando lo que haya que modificar. Cada wod de open lo enfrento como si fuese unico.. distintos movimientos, distinto tiempo, distintas emociones, estrategias. Lo vivo como si fuese una final, con mi equipo alrededor, cada uno ubicado en su lugar, con su tarea y todos juntos hacemos el wod. Yo ejecuto, pero ellos estan ahi conmigo mirando el tiempo, contando reps, controlando estrategias.. y Lo mejor de todo es el final, donde sea cual sea el resultado, ellos estan ahi conmigo, firmes, pensando en dar lo mejor otra vez en la proxima batalla.

HC: Noté que subiste todos los videos de tus workout al site de Crossfit. ¿No solamente vos como también Paula Leves y Agustina Haag, Fue algo que decidieron entre todas?.Esto no es obligatorio, porque decidiste publicarlos?

Lo dedici asi porque no competi para ningun box afiliado. 

HC: Te clasificaste en primero lugar en los online qualifiers del Brazil CrossFit Championship (BCC). Si obtenés la clasificación por Argentina, vas a competir en el BCC?

Si voy a ir, es un torneo de gran importancia, donde sigo sumando experiencia con grandes atletas.

HC: Por último, que podemos esperar de Melina Rodriguez para los próximos años en Crossfit?

No se cuanto me llevara, pero apunto a pelear lo mas alto del podio, con las mejores del mundo. Y se que con el apoyo de todo mi equipo, la banda de thunderbox y toda la gente que me apoya, lo voy a lograr. 


Prova HUGOCROSS do Wodlive ocorrerá no episódio de hoje

Prova HUGOCROSS do Wodlive ocorrerá no episódio de hoje

Churrasco Vegano

Churrasco Vegano