Pontuações ajustadas do 20.2

Mais uma vez as pontuações ajustadas do 20.2 foram publicadas na madrugada desta quinta-feira no Brasil. Como era de se esperar, a CrossFit foi implacável distribuindo punições até nos atuais campeões, Mathew Fraser e Tia-Clair Toomey. Veja a seguir a punição dos atletas:

  • Lefteris Theofanidis – atual líder teve score ajustado por começar o treino antes e pelo fato dos calcanhares não passar pelo plano vertical no toes-to-bar.

  • Noah Ohlsen – pontuação ajustada de 980 para 973 por causa de rounds que ele não completo os 24 DU.

  • Mathew Fraser – pontuação ajustada por um toes-to-bar depois do time cap

  • Simon Mäntylä – penalidade máxima por consistentemente não quebrar a paralela e não travar o cotovelo nos thrusters.

  • Chandler Smith – pontuação ajustada de 922 para 898 por que em 24 de 27 rounds, ele fez 23 DU.

  • Kristi Eramo O’Connell – pontuação ajustada de 954 para 946 por não ter feito os 24 DU.

  • Karin Freyova – pontuação ajustada por um último thruster feito após o time cap.

  • Katelin Van Zy – pontuação ajustada pelos últimos 4 DU após o time cap.

  • Kristine Best – pontuação ajustada por ter feito 23 DU em um round.

Diversos atletas ainda foram punidos por “queimar a largada”. Lembrando que ao sinal de “3,2,1…Go” o atleta deve star de pé e sem tocar o equipamento. Isso não aconteceu com:

Mulheres: Jamie Greene,Tia-Clair Toomey, Emma McQuaid, Carol-Ann Reason-Thibault, Camilla Salomonsson Hellman, Gabriela Migala, Brooke Wells, Andrea Solberg, Meg Reardon, Dani Speegle, Emily Rolfe, Bethany Shadburne, Emilia Leppanen, Andrea Nisler, and Kristine Best

Homens: Lefteris Theofanidis, Björgvin Karl Guðmundsson, Giorgos Karavis, Patrick Vellner, Josh Miller, Jean-Simon Roy-Lemaire, Logan Collins, Cole Sager, Scott Tetlow, Martin Fuentes, Samuel Cournoyer, Brendan Willis, Sean Sweeney, Willy Georges, David Shorunke, Jeffery Moss, Karar Margrander, and Adam Klink

Nesse 20.3 podemos esperar muita polêmica sobre juste de pontuação. Quem deve sofrer é o líder atual, Lefteris Theofanidis, qu teve seu vídeo analisado pelo Youtuber Armem Hammer, que percebeu que a câmera muda de posição não conseguindo ver a marcação ideal. Além disso, a medida do antebraço ao punho deu algo como 36 cm. Mas ele somou 16 e não 18 cm à sua altura. Outro que correu risco foi Jacob Heppner, que depois de ter sofrido muito com essa marcação em 2018, fez os HSPU com os punhos fechados.