Análise dos atletas que disputarão o Australian CrossFit Championship

Compartilhe

Neste final de semana, além do Brazil Crossfit Championship, teremos o Australian Crossfit Championship e este terá inúmeras disputas acirradas na briga pela vaga no Crossfit Games 2020 e o que podemos chamar de demonstrações de alto nível, com alguns atletas já classificados aos Games 2020. Mais uma vez nosso colaborador Guilhermo Gulin entrou em campo com estatísticas sobre os atletas. Entre os classificados do lado masculino temos o campeão australiano pelo open Bayden Brown e o campeão do Pandaland 2020, Khan Porter. Entre as mulheres termos o retorno de Kara Saunders (antiga Kara Webb) às competições de grande renome após ter dado a luz a sua filha. Outra que recentemente conseguiu uma vaga foi Madeline Sturt pelo Open após Annie Thorisdottir declinar o convite por estar grávida.  A Mayheem Independence volta a campo também mesmo após ter conquistado sua vaga aos Games pelo Wodapalooza 2020. Esse vai ser um bom termômetro para vermos como se saem, apesar de não disputarem vaga.

Na disputa pela vaga, na categoria individual masculino, teremos dois nomes que ficaram no top 10 ano passado nos Games, os australianos James Newbury e Matt Mcleod. Mesmo vindo de uma grave lesão, que o impossibilitou de continuar no Open após um acidente, Newbury (se plenamente recuperado) é o mais forte candidato a repetir o seu feito no regional 2017 e 2018. Ele já disputou 4 Games e o 5º lugar ano passado foi seu melhor resultado. Não muito longe o conterrâneo Matt Mcleod estreou com um excepcional 7º lugar em seu primeiro Games e é um nome a ser considerado.

Outro nome presente no evento é o atleta americano Alec Smith que foi convidado e que tenta apagar a fraca atuação no Wodapalooza há duas semanas a traz, onde ficou com a 20º colocação no evento. Este atleta participou dos 3 últimos games e em 2019 ficou com a 2º colocação na categoria times. Ainda podemos citar alguns outros veteranos de Games com Brandon Swan (4 Games, 3 individuais e um por times), o inglês Phis Hesketh  (2 Games, 1 individual e um por time), além de Zeke Groove que já vimos fazer milagre nos regionais de 2018 (4 Games, 3 individuais e um por times).

Na categoria feminina, na luta pela vaga no Games 2020, teremos muitas atletas que disputaram os Games ano passado por times. Entre elas a australiana Jessica Coughlan, que tem também uma aparição no individual; Haley Murillo que estreou em 2019 nos Games por equipes com o time da Invictus X; a neozelandesa Kate Gordon com duas atuações por times e a sueca Mia Hesketh, que disputou pelo time da Alioh ano passado. Além dessas temos a atleta Jaime Goodwin, atual número 3 da Nova Zelândia, que participou de 3 Games por times, e Courtney Haley com 3 aparições nos Games tendo ficado na 29ª colocação geral no individual ano passado, talvez sendo a mais forte e experiente de todas.

Na categoria times teremos uma disputa entre atletas da Austrália e da Nova Zelândia. Com poucas equipes formadas por pessoas fortes, algumas tem alguns nomes relevantes que podem ser decisivos. A favorita na briga pela vaga talvez seja a equipe Starr Strength Black classificada em primeiro lugar na classificação online. Ela tem entre seus membros a veterana de Games Alethea Boon (que ano passado recusou um convite no individual para ir nos masters). A equipe CrossFit Urban conta com Katelyn Van Zyl, atleta que estreou nos Games ano passado e já está classificada para 2020 pelo open. A equipe Renegade tem Mike Paterson como capitão. Ele tem 3 Games por times com a east Temaki e isso sempre ajuda. Por fim, a segunda colocada nos online qualifiers, que não tem nenhum ex atleta dos Games, a equipe Not Bhed pode acabar surpreendendo.