Crossfit Brazil promove encontro de box afiliados durante o BCC em São Paulo

Compartilhe

A CrossFit Brazil realizou nesse sábado em São Paulo um encontro de afiliados, aproveitando o grande fluxo de donos de box para o Brazil CrossFit Championship.

Objetivo? Fazer uma apresentação sobre o papel da CrossFit Brazil, mais especificamente do Ricardinho Prudente e Victor Morris. Além deles, o advogado responsável pelo aconselhamento e abertura/continuidade de processos movidos pela CrossFit no Brasil também estava presente.

Ricardinho começou a reunião especificando cada detalhe da operação da CrossFit Brazil como, por exemplo, mediar a relação dos afiliados com a CrossFit. Entre as ações mostradas, chamou a atenção de muitos o fato deles terem conseguido que a taxa de US$ 3.000,00 seja parcelada em 12 x de US$250,00. O que pareceu ser uma novidade para muitos que não sabiam e tiveram que pagar, ou aos poucos já tinham pegado à vista.

O responsável pela área jurídica depois fez uma apresentação sobre tudo que está sendo feito. Como por exemplo entrar com processos contra pessoas que usam indevidamente a marca. Além disso, ele fez questão de explicar a diferença do que é a marca CrossFit da modalidade esportiva que é praticada.

Depois disso, a palavra foi aberta para perguntas. Algumas foram relacionadas ao aumento dos números de boxes e o que é feito em termos de cuidado com a qualidade do serviço oferecido. Como explicado por Victor Morris, a CrossFit pensa que o mercado se regula. Um box que não oferece um bom serviço tende a fechar. E que as pessoas não deveriam se preocupar com o dinheiro. Ele deveria ser apenas uma consequência de um trabalho bem oferecido.

Infelizmente está pessoa que aqui escreve não pode ficar muito tempo. Mas var salientar as perguntas feitas pelo dono da CrossFit Juiz de Fora. Ele perguntou sobre a possibilidade de ter acordos vantajosos para filiais de outra sobre o fato de que se eles não oferecem a modalidade CrossFit, o que eles oferecem? Sobre a primeira foi respondido que a ideia de negócio da CF é de um dono para um box, para que o mesmo possa desenvolver sua comunidade. Nunca foi pensado como algo para que as pessoas tenham mais de uma unidade. Sobre a segunda, eles falaram que o Quênia boxes oferecem sob a marca crossfit é a modalidade de CrossTraining. Eu entendo o que eles querem dizer, mas me pergunto se isso ao mesmo tempo não torna mais difícil você convencer uma pessoa a pagar mais caro para treinar em um box filiado contra um não filiado.

Contudo, vale salientar que o encontro teve um viés bem positivo, principalmente considerando que Ricardinho e Victor se mostraram dispostos a ajudar a comunidade. E mais importante, disponíveis para atender à todos, contanto que sejam devidamente comunicados. Isso significa que a fiscalização de boxes que usam a marca indevidamente sejam denunciadas no site. E que se o Box estiver com algum problema com a CrossFit, que eles estão à disposição deles.

Num momento que muitos boxes estão se desfiliando ou fechando, o movimento de aproximar a CrossFit dos afiliados se torna essencial.