Como o pilates pode te ajudar no CrossFit?

Compartilhe

Sabemos que está tudo parado por causa do corona. Mas tudo isso vai passar e se informar nessa época pode te ajudar no futuro. Para escrever sobre esse assunto, chamamos a fisioterapeuta Ketlin Suzan Braga Sauer (@ketisauer), que dá aula de pilates e faz CrossFit, além de ilustrar as fotos desta reportagem.

Pilates e Crossfit são modalidades que se diferem nos objetivos específicos, mas que podem se complementar e ajudar os praticantes de CrossFit mais do que se imagina. Afinal, em ambas as modalidades, a fluidez, a precisão e o controle são necessários para uma boa execução dos exercícios.

Ao contrário do que a maioria imagina, o pilates não é apenas alongamento. Embora faça parte dos benefícios da atividade, a flexibilidade trabalha em associação com o fortalecimento muscular, equilíbrio, mobilidade articular e correção postural.

O método é baseado na contrologia, onde Joseph Pilates definia como “arte do controle e equilíbrio entre mente e corpo em sua totalidade”. O Pilates tem uma visão global do corpo humano, visando a sua funcionalidade. O método é baseado em 6 princípios: controle (aprimora a coordenação motora), precisão (realinha a postura e controla o equilíbrio), centro – POWER HOUSE (fortalece a musculatura e promove a estabilização do tronco), fluidez (leveza ao exercício), respiração (controle da respiração para que se torne sincronizada com os movimentos) e concentração (foco para realizar o exercício com a maior eficácia possível).

O pilates não tem hipertrofia como objetivo. Assim, o único peso utilizado é o do próprio corpo, ou a tensão de molas ou elásticos. Por isso, possibilita uma melhor percepção dos movimentos, resultando em uma maior precisão e controle, fundamentais para a execução das técnicas do CrossFit. Dessa forma, é necessário associar o máximo de grupos musculares possíveis, através das cadeias musculares. O fortalecimento global visa principalmente o fortalecimento dos músculos estabilizadores durante a realização.

Todos os movimentos exploram a mecânica da respiração, auxiliando no aumento da potência respiratória. O resultado é uma maior oxigenação das células e, para os praticantes de Crossfit, reflete diretamente na força e resistência.

Por fim, o trabalho do centro – POWER HOUSE é essencial, por exemplo, nos movimentos de LPO e ginásticos. Note que o fortalecimento da musculatura interna do core, que promove a estabilização do tronco, não é bem trabalhada no CrossFit, apesar de exigida. Com isso, você prepara melhor seu corpo para cargas mais elevadas, com menor risco de lesão.

Sendo assim, o pilates pode trazer uma melhora na mobilidade, estabilização articular, auxiliando na prevenção de lesões, gerando um bom resultado no trabalho intermuscular, importante para a execução de movimentos multiarticulares, que são frequentes no Crossfit.

Texto escrito por:

Ketlin Suzan Braga Sauer
Crefito 236315-F