CrossFit para a melhor idade? E por que não?

Compartilhe

A frase “Crossfit para todos” não fica apenas nas palavras, mas também nas ações de algumas pessoas que realmente fazem isso acontecer. Luiza Santini (@lu_santini), coach especializada em alunos idosos, mostra, diariamente, a importância de exercícios físicos para pessoas na terceira idade. Ela diz concordar com David Bowie quando diz: “Envelhecer é um processo extraordinário em que você se torna a pessoa que você sempre deveria ter sido.” Ela complementa: “Seja pelo seu intelecto ou pela sua afetividade, é realmente incrível evoluir e nos tornarmos pessoas melhores. Mas e o físico? Será que até os 60 anos a vida adulta nos condiciona a hábitos de vida melhores ou envelhecer está cada vez mais associado a doenças, a limitações físicas, dores nas articulações, dependência para locomoção e para as atividades do dia a dia?”

Em época de coronavírus, claro que não há aulas presenciais. Mas os exercícios ajudam a fortalecer a imunidade. E nessas horas, não podemos desprezar o seu efeito nesses que praticam o CrossFit.

Segundo Luiza, existem dois tipos de envelhecimento: O causado por declínios fisiológicos naturais, inevitáveis, e o causado por doença e fatores ambientais como fumar, dieta rica em gordura e inatividade física. Luiza escolheu agir no que é evitável, mais precisamente na inatividade física. Sabemos que o exercício físico vem sendo uma das principais recomendações médicas para prevenção, tratamento de doenças e promoção da saúde. Por isso, se movimentar se tornou o melhor caminho para quem quer estar com saúde e disposição na terceira idade.
A própria Luiza diz que “Quando me perguntam por que trabalho com Crossfit para idosos eu chego a ficar sem palavras! Vejo como a melhor forma da minha profissão curar, tratar e salvar pessoas.” De acordo com ela, é a forma dela devolver a qualidade de vida e a AUTONOMIA para os idosos.

A coach, mestranda em ciências da saúde na linha de pesquisa envelhecimento, falou ainda sobre as dificuldades e desafios que enfrenta. “Trabalhar com idoso não é fácil. Tem que estudar e trabalhar muito. Ir além de seguir o treino da lousa, comprar o treino de um gringo ou escalonar e adaptar os treinos do box. Tudo deve ser pensado, tipo de força, amplitude, volume de repetições, dores tardias, dores da artrite, qualidade do sono, medicamentos que tomam, percepção de cansaço, percepção subjetiva do esforço em cada aula, etc.”, disse Luiza.

O preconceito com aquela famosa frase “Crossfit machuca”, cai por terra quando vemos idosos se desenvolvendo e aumentando sua qualidade de vida após entrar na modalidade. Podemos dizer até que o Crossfit obtém características perfeitas para os mais velhos: o respeito ao tempo e a individualidade de cada um.

O que os idosos que praticam CrossFit acabam relatando após 4 meses de atividades?

  • Diminuição de dores articulares;
  • Elogio dos médicos devido a melhora em marcadores biológicos nos exames de sangue;
  • Mais disposição para os afazeres domésticos;
  • Qualidade do sono;
  • Melhora na autoestima;
  • Emagrecimento;
  • As novas amizades feitas no Box e as confraternizações que fazem a cada aniversário de um integrante;
  • A falta que faz quando não vão ao treino por algum motivo (feriado, viagem, trabalho).

Mas como então Luiza pensa nas aulas específicas para a melhor idade?

“É um grande quebra-cabeças.” – diz Luiza. Ela chama a atenção que a perda de força e flexibilidade são naturais ao envelhecimento, o que torna mandatário o estímulo de força e flexibilidade em todos os treinos de idosos.

Todos?

“SIM. Eles precisam de constantes estímulos para apresentar ganho ou no mínimo minimizar as perdas, além claro dos estímulos cardiovasculares na periodização.”

A questão, de acordo com Luiza, não é adaptar o treino do quadro, mas devolver a funcionalidade ao idoso; com movimentos menos complexos e calma na progressão de carga, respeitando o tempo e a individualidade de cada um. Por isso, não prioriza movimentos em suspensão, inversão ou sobrecarga acima da cabeça.

Ela chama atenção das 3 coisas que mais matam idosos: pneumonia, diarreia e QUEDA.

“Acredite, o que você não quer para um idoso são dias em um hospital, pois ele fica bem sujeito a uma infeção ou pneumonia. E o que mais queremos é manter eles fortes e ativos para evitar as Quedas! Então digamos que colocar uma mulher de 72 para subir em uma corda não nos remete a funcionalidade e sim a risco.”

Acima de tudo, Luiza chama a atenção que o mais importante ao lidar com as aulas para idosos é PACIÊNCIA.

Então é mesmo seguro o CrossFit para idosos?

“Claro que é!!!! Para Idosos, adultos, crianças e portadores de necessidades especiais! Tudo depende de AONDE, com QUEM e COMO cada um ai treinar. Procure um box afiliado, procure Coaches bons e bem fundamentados que vão muito além dos treinos da lousa. Tenham sensibilidade, humildade e coragem de experimentar antes de dizer o que é bom ou ruim para o SEU corpo, ninguém pode dizer isso por você!”

Por fim, fica o recado dado por Luiza Santini:

“No ano de 2020, com dados até 19 de março o “Cardiômetro” da Sociedade Brasileira de Cardiologia registrou 85.550 mortes por doenças cardiovasculares no Brasil.

Sabe quais os remédios mais indicados para tratar e prevenir as doenças cardiovasculares?

O estilo de vida regado de EXERCÍCIO FÍSICO REGULAR, dieta saudável e qualidade do sono sustentados no seu estilo de vida!! Coisas que o Crossfit nos faz aderir sem muita dificuldade: Comer melhor, treinar sempre, dormir bem e com certeza repetir tudo outra vez. Então com qualidade, humildade e respeitando seu tempo e seu corpo, usufrua e descubra do que seu corpo é capaz!!!”


Luiza Santini é CrossFit Level 1; tem especialização em atividade física na prevenção e tratamento de doenças e promoção da saúde (Hospital Israelita Albert Eisntein); é mestranda em ciências da saúde na linha de pesquisa Envelhecimento (Hospital Israelita Albert Eisntein). Coach de Master Class (InVicio Crossfit ) Coach de CrossFit Class ( CrossFit Four Heads e Unit+55)

Matéria escrita por Erick Guimarães e Sergio Sanchez