Fechou, e agora? 7 dicas para o momento atual do seu box e para a retomada

Compartilhe

Na televisão, internet, portais e  grupos de WhatsApp só se fala no #ficaemcasa, na contagem de mortes, de infectados e no famoso achatamento da curva de contágio. Obviamente faz parte de todo contexto e são assuntos pertinentes ao momento. Entretanto, há muito mais assuntos que devem ser discutidos exaustivamente e não estão.

O lockdown horizontal atingiu de frente empresas que trabalham com prestação de serviços, em especial os BOX de CROSSFIT. Quem não conhece a dinâmica de um ginásio de crossfit precisa saber que em uma aula temos em média 10 à 20 pessoas treinando, mais uns poucos na famosa “resenha” pré e pós wod,  aulas de hora em hora além de toda equipe envolvida. Entenderam! Foi uma colisão de frente com um caminhão à  toda velocidade. A COMUNIDADE que é o grande poder do crossfit, foi atingido.

O que fazer? Sempre gostei de uma citação e neste momento, ela nunca fez tanto sentido: “Não é o mais forte e nem o mais inteligente que sobrevive e sim o que melhor se adapta às mudanças.” Charles Darwin

Não importa quantos anos tem a empresa ou seu tamanho, os desafios são os mesmos. Sou Diretor do Grupo Fisio Health Sports e Grupo Muve Crossfit (3 unidades) e posso garantir com a experiência que tenho nestes quase 20 anos empreendendo,  está sendo muito desafiador todo esse momento. 

Vou compartilhar algumas ações e dicas que julgo ser importante nesta fase e principalmente no pós isolamento, na retomada que será tão desafiador quanto.

1º – mantenha a calma. Já será difícil com a cabeça no lugar, se perdermos a razão todas as ações estarão comprometidas. O fato é que há a necessidade do isolamento e com isso o negócio crossfit vai sofrer.

Entender que a responsabilidade é sua e os alunos são seus clientes e de ninguém mais e criar meios para continuar atendendo essas pessoas mesmo que à distância. É a grande oportunidade de se “livrar”dos “convênios”.

2º – pense no time: seu ativo mais importante é seu quadro de funcionários. É ele que tem engajamento direto com seus alunos e importância crucial neste momento. Obviamente, pode acontecer de em algum momento um ou outro ser desligado, faz parte deste momento horrível, mas entendo que quanto mais claro com essa equipe desde o início melhor é.

3º – fluxo de caixa: planejar fluxo de caixa é trabalhar sobrevida. Saber seu custo é determinante para iniciar uma série de ações que poderão salvar seu negócio. Para isso, atenção aos incentivos governamentais com as medidas provisórias, créditos e outros que possam aparecer.

Crie promoções, incentive o fechamento antecipado e até a venda para usufruir na frente, prática adotada pela Disney.

4º – nunca vai fazer tanto sentido a palavra engajamento. Quem ao longo de uma história melhor engajou seus alunos e funcionários sofrerá menos neste momento. Mesmo assim, nada esta perdido, chegou a hora de conhecer seus clientes e levar valor para eles. Aulas, contatos semanais via telefone, enfim, conhecer realmente os destinatários de seus serviços.

5º – Inovar. Chegou a hora de pensar para frente. Refletir quais as marcas que essa experiência vai deixar na sociedade, quais mudanças. Isso será essencial na retomada.

6º – nas primeiras semanas de isolamento tivemos muitos canais com lives, aulas em redes sociais e foi muito legal toda essa motivação para os alunos. Entretanto, a partir de um certo momento, começou fazer falta o trabalho exclusivo que cada box de crossfit fazia para seus clientes, fazer falta o bate papo dos amigos nas aulas, dos resultados na lousa, enfim, fazer falta aquela comunidade do dia dia. Pensando nisso e conversando com tantos outros colegas (nesta hora a troca de experiência é importante) decidimos criar uma grade de aulas online para nossos alunos, com rotina, com resenha, tudo que envolvia uma aula presencial. Paralelo à isso, emprestamos kits de equipamentos aos alunos e deixamos a equipe à disposição para dúvidas.

7º – pensar no retorno e em medidas de segurança. Sim, a volta vai exigir adaptações na rotina e teremos que planejar essas ações.

Depois de tudo isso e tantas outras coisa ainda não der certo e fechar? Simples, comece novamente. O sucesso é feito de derrotas e fracassos e os que alcançam seus objetivos são os que tem algumas características: coragem, foco, persistência, criatividade e uma pitada de loucura.

Rodrigo Cassemiro

Fisioterapeuta

CEO – Instituto Fisio Health Sports

CEO – Grupo MUVe Crossfit