Lari Cunha, Gui Malheiros e Team Fourmixx se classificam para os NoBull CrossFit Games 2021.

Compartilhe

Todos nós esperávamos um evento presencial, mas a COVID-19ainda não nos permite isso. Logo, a grande semifinal da América do Sul teve que ser online mesmo. Uma pena. Mas ainda assim temos muito o que comemorar. Teremos um representante de peso em cada uma das principais categorias da elite mundial. Lari Cunha no individual feminino, Gui Malheiros no individual masculino e Time Fourmixx na copa dos afiliados. E sempre fica a pergunta…como se comparam com o resto do mundo? Bom, o fato de terem feito online junto com os atletas europeus que disputaram as mesmas provas pelo Lowlands Throwdown e pelo German Throwdown nos permite ter uma boa ideia disso. Vamos pois recapitular como foram em cada evento tanto no BCC quanto nas outras duas semifinais.

Lari Cunha

Lari se classificou ano passado como campeã brasileira no Open. Mas a pandemia mundial fez com que houvesse mudanças drásticas e ela não teve nem a chance de ,na fase online, tentar uma vaga para o presencial. Contudo, ela que vem dominando o cenário nacional no Open e dominou a fase da quarta de final, deu um show no BCC e se classificou na primeira colocação geral, com nada menos que dois primeiros lugares, 3 segundos e um oitavo.

Evento 1 – 1o lugar geral BCC, Lowlands Throwdown e German Throwdown. E pasmem, 2o melhor tempo do mundo no feminino ficando apenas 3 segundos atrás do melhor tempo da tetra campeã Tia-Clair Toomey-Orr.

Evento 2 – 2o lugar geral BCC, 11o Lowlands Throwdown, 13o German Throwdown.

Evento 3 – 2o no BCC, 17o no Lowlands Throwdown, 12o no German Throwdown. Esse evento em commparação com o restante do mundo seria o pior resultado para a brasileira. Mas é conhecendo as fraquezas que se melhora no futuro e , agora, se preparar para a grande final.

Evento 4 – 8o no BCC, 11o no Lowlands e 8o no German Throwdown. Esse foi o pior resultado da atleta no Brasil mas não em comparação com o mundo. Notável como as provas de carga costumam ser os melhores resultados dos sul americanos na comparação com o mundo.

Evento 5 – 2o no BCC, 10o no Lowlands, 8o no German Throwdown.

Evento 6 – 1o no BCC, 3o no Lowlands, 2o no German Throwdown. Fica claro aqui a superioridade da brasileira em wods curtos e explosivos, estando sempre entre os melhores resultados do mundo. Ela teria ficado em primeiro no Mid-Atlantic CrossFit Challenge. Contudo, no MACC havia transição e aqui não. Logo a comparação fica prejudicada.

Com esses resultados, Lari somaria 416 pontos e, na sexta colocação geral, beliscaria a vaga no Lowlands Throwdown, empatada com Karin Freyová. Pode parecer pouco, mas notem que temos as 5 primeiras como ex atletas Games sendo uma ex campeã e uma segundo colocada. Isso não é pouco não. E no German Throwdown, Lari teria se classificado com o 4o melhor resultado com 448 pontos, atrás de ninguém menos que Katrin Davidsdottir que ficou em 3o com 468 pontos e na frente atletas como Sam Briggs que não se classificou com 436 pontos.

Guilherme Malheiros

Gui já foi pódio dos Games na categoria teens quando conquistou o segundo lugar geral em 2017. Desde então, conseguiu retornar aos Games em 2019 sendo eliminado após a 3a prova. Ele, assim como a Lari, havia conquistado a vaga ano passado como campeão do Open no Brasil mas, infelizmente as mudanças devido à pandemia, mudaram a temporada para o Gui. No seu 3o Games, Malheiros finalmente vai para disputar todas as provas do início ao fim. Ele s classificou com 2 primeiros, 2 segundos lugares, um sexto e um sétimo.

Evento 1 – 1o lugar geral BCC, Lowlands Throwdown e 4o German Throwdown. Malheiros teria feito o 2o melhor tempo na fase online dos Game 2020, ficando atrás apenas de Mat Fraser.

Evento 2 – 7o lugar geral BCC, 15o Lowlands Throwdown, 20o German Throwdown. Esse evento em comparação com o restante do mundo seria o pior resultado para Malheiros.

Evento 3 – 6o no BCC, 11o no Lowlands Throwdown, 10o no German Throwdown.

Evento 4 – 1o no BCC, 3o no Lowlands e 1o no German Throwdown. Famoso por seus snatches, era de se esperar que ele iria bem não apenas no BCC mas na comparação com o restante do mundo.

Evento 5 – 2o no BCC, 2o no Lowlands, 5o no German Throwdown.

Evento 6 – 2o no BCC, 2o no Lowlands, 2o no German Throwdown. Assim como Lari, sua parceira de treino, Gui mostra que em treinos curtos e explosivos, o domínio é grande. Ele também teria ficado em primeiro no Mid-Atlantic CrossFit Challenge. Contudo, no MACC havia transição e aqui não. Logo a comparação fica prejudicada.

Gui Malheiros teria se classificado na 1a colocação no Lowlands Throwdown (com 490 pontos) ganhando de atletas como BKG e em 3o no German Throwdown (463 pontos) . Ou seja, a classificação seria certa independente da semifinal. O grupo masculino na europa não é tão competitivo quanto o feminino nos Games. Isso de forma alguma diminui o feito de Malheiros. Mas mostra que tanto ele quanto Lari estão mais que preparados no individual para dar muito, mas muito trabalho.

Time Fourmixx

Esse time fez história! Primeiro time brasileiro a se classificar para os CrossFit Games, eles não apenas ganharam o BCC. Mas eles dominaram o BCC, ganhando 4 das seis provas e ficando em segundo nas outras duas. Também…um time formado por ninguém menos que Anita Pravatti, Susana Etto, Fábio Dechichi e Mateus Ferro não tinha muito como dar errado né.

Evento 1 – 1o lugar geral BCC, 3o no Lowlands Throwdown e 2o German Throwdown.

Evento 2 – 2o lugar geral BCC, 5o Lowlands Throwdown, 7o German Throwdown. Esse evento em comparação com o restante do mundo seria o pior resultado para o time.

Evento 3 – 1o no BCC, 1o no Lowlands Throwdown, 3o no German Throwdown.

Evento 4 – 1o no BCC, 2o no Lowlands e 3o no German Throwdown.

Evento 5 – 1o no BCC, 2o no Lowlands, 2o no German Throwdown.

Evento 6 – 2o no BCC, 1o no Lowlands, 1o no German Throwdown.

Apenas somando as pontuações, o time Fourmixx ficaria em primeiro geral também no Lowlands Throwdown com 562 pontos. No German Throwdown, o time Fourmixx ficaria na segunda colocação geral com 542 pontos. A Europa não tem uma grande tradição de times competitivos nos Games. Mas esses resultados mostram que os Brasileiros vão dar muito trabalho nos Games.

Enable Notifications    OK No thanks