Ele era conhecido como o Pusch mais novo. Mas esse ano vai deixar sua marca: conheça Gustavo Pusch

Compartilhe

Imagina você crescer com um irmão entre os melhores adolescentes do país e do mundo em um esporte. Agora imagina você também entrar no esporte e decidir que quer estar entre os melhores. Isso poderia ser uma pressão extra para você ou para mim. Mas como veremos nessa entrevista, isso foi essencial para que Gustavo Pusch (@gustavo_pusch) perseguisse e hoje realizasse o seu sonho maior. Estar nos CrossFit Games. E ele vai ser o primeiro teen masculino a de fato disputar os Games nessa categoria, apesar de outros dois já terem sido classificados. Ruan Carvalho (@ruancarvalhocf) também está classificado esse ano mas esperando o visto. Mas o Pusch mais novo não apenas se classificou. Ele se classificou em 4o lugar, apenas dois pontos atrás do segundo e tem, portanto, grandes chances de repetir o feito do Malheiros em 2017 e subir no pódio. Está chegando a hora de torcer por ele. Conheça agora um pouco mais de Gustavo Pusch.

Nome: Gustavo Faria Pusch
Qual afiliada você treina? Tudo depende de onde eu estou, durante toda a pandemia treinei no meu home box, o open fiz na Crossfit Fratelli @crossfitfratelli e o AGOQ fiz na Bsb Crossfit @bsbstrong
Há quanto tempo você treina o CrossFit? Há 4 anos
Qual é o seu benchmark favorito? Cindy
Qual é o seu ponto forte no CrossFit? LPO
Qual é o seu ponto fraco no CrossFit? Natação
Quais são os 3 devem carregar objetos em sua mala de ginástica? Grips, Thumbtape e Cinto de LPO
Qual o seu PR de snatch? 108kg
Qual o seu PR de Clean and jerk? 124kg

HC: Qual o seu background esportivo?

Em casa, sempre foi obrigação até os 9 anos fazer natação, porque meus pais sempre acreditaram nos benefícios do esporte, e isso nunca foi problema pra mim, pois sempre gostei de praticar e competir. Depois dos 9 anos era obrigatório fazer esporte mas podíamos escolher a modalidade, foi quando entrei pras lutas, fiz taekwondo e também jiu-jitsu, aliás conquistei meu título de vice-campeão Paulista lá, aos 10 fiz 1 ano LPO, com 11 comecei na ginástica olímpica, fiquei 1 ano também e já comecei no Crossfit

HC: Gustavo, ano passado eram apenas 10 que passavam. Você ficou em 12º na categoria 14-15 anos. Quase. COVID-19 acabou com tudo e não teve campeonato teens. Esse ano, com 15 anos,  mesmo com 20 atletas, você não deixou dúvidas e entrou com o 4º lugar, apenas dois pontos atrás do segundo. Sabemos que um ano a mais faz muita diferença nessa idade. Mas algo mudou além de força e dos hormônios naturais batendo?

Sim, com toda certeza o ano de 2020 serviu de grande aprendizado, treinei minhas deficiências para se tornarem eficiências. Apesar de todo o contexto que o mundo viveu ( e ainda vive) esse foi um ano que me mostrou pontos importantes de melhora, que foram essenciais pra minha classificação. Os períodos de quarentena foram essenciais pra mim. Tive que trabalhar muito minha cabeça para viver em casa, treinar em casa, estudar em casa… isso me fez ter mais disciplina e determinação. Foram nesses dias difíceis que mergulhei de cabeça e vivi 100% o CrossFit.

 
HC: Você é o segundo atleta da sua família que vai para os CrossFit Games. Seu irmão disputou na categoria 16-17. Qual o papel da sua família nessa história toda? E o fato de ter um irmão ex-atleta Games traz mais pressão?

A família neste processo é fundamental, o apoio deles faz toda a diferença. O fato do Lucas ter classificado não causa uma pressão em mim ou em casa, muito pelo contrário, causa um alívio, por ter alguém que já passou pelo que vou passar. Isso tira o fator surpresa e traz a experiência pra dentro de casa. Então desde esse sonho se tornou meu, sabíamos o que teríamos que fazer e já tínhamos tudo planejado pra tudo que poderia acontecer.

 HC: Você é treinado pelo Bernardo da @bsbstrong. Inclusive, durante o open e online qualifier e durante um tempo você foi para Brasília e treinou com ele, Gui Malheiros e Lari Cunha. Como foi esse período? Como foi essa experiência?

Tem uma frase ( e uma crença) que levo comigo: “se vc quer ser o melhor tem que treinar com os melhores.”. Este período de treino, serviu de grande aprendizado e me gerou muita evolução, tanto de performance fisica quanto mental. Treinar com os melhores do Brasil, ver o que eles fazem, como fazem, trouxe toda a experiência deles pra perto de mim. E isso mudou tudo!! Acredito que enquanto o Brasil não entender isso o esporte vai estagnar ou vai evoluir a passos lentos. É fácil achar exemplos onde os melhores treinam com os melhores, e o melhor de todos é Fraser e Tia Clair.
 
HC: O que o Gustavo de 15 anos pode dizer agora sobre como ele se vê como atleta. O que mais aprendeu e o que mais precisa melhorar.

O maior aprendizado que tive como atleta foi que para estar entre os melhores não basta querer, tem que ter muito foco e disciplina, e tem que abrir mão de muitas coisas, a pandemia me ensinou muito disso, e treinar sozinho exige muito mais foco e mais ainda dedicação. Acho que o que me falta ainda é maturidade, estou no meu início da carreira, acredito que tenho muito a aprender, muita experiência pra adquirir, até porque o Crossfit Games por mais que seja a maior competição que temos, é só minha terceira competição individual.

 HC: Você disputou o Wodapalooza com 14 anos em Fevereiro de 2020 antes de toda a pandemia.  Como foi aquele momento? Acha que foi importante para te preparar para o palco principal, os CrossFit Games?

Até hoje nunca senti uma energia tão forte! Aquela foi a maior competição que já participei, foi incrível poder competir presencialmente com os atletas que estavam no open competindo comigo e que eu sempre via no Instagram, além de conhecer os adversários melhor, aquilo me deu um gostinho de como seria o Games e só aumentou minha certeza de que era isso que realmente eu queria.

 HC: Quais são as suas expectativas para a competição esse ano? Saberia dizer um workout dos sonhos? E um do seu pesadelo?

Minhas expectativas estão altíssimas, acredito que o qualifier me mostrou o meu real potencial. optei por fazer todos os wods apenas 1 vez, pois na competição não temos segunda chance, então quis me testar! e isso me gerou o resultado de 4º do Mundo, mostrou meu potencial, e meu deu confiança de um possível Top 3 no games.

HC: Você ainda tem mais dois anos como teen. Podemos esperar seu nome nos próximos anos? Pretende permanecer como atleta na elite também?

Com toda certeza, pretendo me classificar nos próximos dois anos de teens, as próximas metas são maiores, que seria me classificar para algum sancionado antes dos 18 anos e com 18 classificar para os Games na elite.

Subscribe for notification