Ela mostrou garra e uma evolução constante ao passar dos anos e, aos 56 anos, disputará o seu primeiro Games: conheça Lasara Magnani

Compartilhe

Ela começou a treinar tarde, por causa de um problema cardíaco. Mas Lasara Magnani (@lasaramagnani) pegou o gosto pelo CrossFit e logo foi fazendo seu nome, disputando seu primeiro Open aos 50 anos de idade. E no Brasil, mesmo sendo a mais velha na categoria, nunca se intimidou quando disputou o TCB, ficando em 2017 na quarta colocação. Mas parece que esse espírito competitivo é algo de família já que sua filha, Giovana Magnani (@giimagnani), já disputou o TCB e hoje é sua coach. Ela havia já se classificado ano passado para os Games mas a pandemia proibiu. Passou sufoco esse ano para conseguir o visto. Mas dessa vez foi. Conseguiu o visto e em breve embarcará para Madison mostrar a força do Brasil no auge de seus 56 anos. Conheça um pouco mais de Lasara Magnani:

Nome: Lasara Magnani
Qual afiliada você treina? Crossfit Silver Fern @crossfitsilverfern
Há quanto tempo você treina o CrossFit? 6 anos
Qual é o seu benchmark favorito? Diane
Qual é o seu ponto forte no CrossFit? Resistência
Qual é o seu ponto fraco no CrossFit? Flexibilidade e mobilidade prejudica nos agachamentos
Quais são os 3 devem carregar objetos em sua mala de ginástica?
 Munhequeira ,magnésio, às vezes grip
Qual o seu PR de snatch? 60kg
Qual o seu PR de Clean and jerk? 80kg
Qual o seu background esportivo? Nenhum, comecei a treinar muito tarde

HC: Lasara, conte um pouco da sua história e como você conheceu o CF e colocou na cabeça que iria buscar uma ida aos Games como atleta master. E me diga…. Qual o papel da sua família nessa sua conquista?

Comecei a treinar por causa de um problema cardíaco, aí fui melhorando minha ansiedade tb, quanto mais eu treinava, mais sentia melhorar fisicamente e emocionalmente, fiz o open,
2015  190 no open
2016   120 no open
2017   80  no Open
2018   47 no Open
2019   51 no Open
2020    7 no Open
Sempre em primeiro lugar no Brasil, no qualifier em 2018 fiquei em 22, aí acreditei mesmo , depois quebrei o braço, pensei que seria o fim, mas minha recuperação foi super boa e consegui voltar a treinar bem. Minha família é super importante nesse processo todo, tenho todo apoio do meu marido e minha filha que é minha coach.

HC: Você é treinada pela sua filha, Giovana Magnani, também conhecida atleta de CF já tendo disputado o TCB na elite. Qual relação é mais complicada: mãe e filha ou coach e atleta? Como mãe você quem manda….como atleta você obedece? E qual papel da sua família no processo?

A relação com minha filha é complicada às vezes, porque ela que manda ,não posso exagerar nas festas, beber quase nada, ela fica de olho em tudo, tenho uma dependência dela para os treinos e há uma cobrança natural nos resultados, mas sei que ela quer meu melhor. Entendo que deve ser bem difícil para ela ,como para qualquer coach ,imagina treinar mãe e atleta, uma responsabilidade imensa, meu sentimento é de gratidão e reparto todas minhas conquistas são dela tb com certeza

HC: Eu fiz essa pergunta ao Léo Lima e faço de novo para você. Sabemos que a idade faz muita diferença. Eu mesmo, a um mês de completar 40 anos, sinto uma diferença muito grande de quando eu comecei o CrossFit. Que cuidados adicionais você toma nesse sentido para se manter em alto nível?

Essa diferença de idade pesa muito, sinto que cada ano fica mais difícil, porque piora as dores, mobilidade que no meu caso já é prejudicada, recuperação dos treinos demora mais, eu faço pilates, mobilidade, estou aprendendo a nadar, descanso 1 dia na semana.

HC: Você não é novata no quesito competições. Já disputou o TCB algumas vezes sempre como a menos nova da categoria. Se manter ativo é uma coisa. Competir em alto nível é outra. O que te motiva hoje em ativo

Minha motivação consiste em ter um corpo forte e ser independente o mais longe possível, tenho pavor de pensar em ficar dependendo de alguma pessoa, gosto de treinar bastante e uso isso para competir até onde eu conseguir e meu corpo aguentar.

HC: O que podemos esperar de Lasara nesse Games? E se tivesse uma prova dos sonhos, qual seria? E dos pesadelos?

Com certeza vou querer dar meu melhor, espero de verdade controlar minha ansiedade e fazer bem as  provas . Prova dos sonhos hpsu, meu pior pesadelo é que não sei nadar, já vou dançar de cara, mas vou correr atrás nas outras, tenho pânico na água e isso prejudica meu aprendizado para nadar.

HC: O que podemos esperar de Lasara no futuro? Permanecer competindo em alto nível?

Quero dar meu melhor e ir nos Games com minha família meu marido e  meu filho, vou competir até quando meu corpo permitir.

Obrigada pela força e atenção sempre, adoro vc.🥰🥰🥰🥰🥰🥰🥰 – Decidi deixar esse final por que também adoro ela!

Subscribe for notification