Gui Malheiros agora é atleta Mayhem. Há algum limite para ele?

Compartilhe

Gui Malheiros se classificou três vezes seguidas para a elite dos CrossFit Games (efetivamente, por causa da pandemia, ele disputou dois, 2019 e 2021) e, no último, bateu uma sequência de recordes: (i) foi o primeiro Latino-Americano a ganhar um evento – no final, acabou levando 3 ; (ii) primeiro Latino-Americano a ganhar o premio de maior melhora devido à sua 7ª colocação esse ano; (iii) primeiro Latino-Americano a ficar no top 10 na elite dos Games e (iv) maior snatch já feito na elite igualando com o feito de Garret Fisher em 2017. Isso sem contar em ser o primeiro brasileiro a subir no pódio dos Games em 2017 na categoria teens com o 2º lugar. Mas ele quer mais. Gui Malheiros quer muito mais e tem tudo para conquistar.

Ontem, em seu Instagram, ele anunciou que a partir de agora ele é um atleta da Mayheem, box do lendário Rich Froning. E isso está longe de ser pouca coisa. Ele vai morar em Cookeville, Tennessee (Estados Unidos) e ser treinado por ninguém menos que Facundo Etchecolatz. O nome Facundo pode não ser conhecido pela grande maioria, mas o argentino radicado na Bélgica, é o coach do time da Mayheem, além de ter sido coach do Saxon Panchik e Lazar Dukic. Ele trabalhou com Dave Durante (Power Monkey) e Chris Hynshaw (aerobic capacity) durante anos e Rich Froning o contratou com exclusividade para treinar atletas da Mayheem, como é o caso do nosso Gui Malheiros.

Sendo assim, o que será que podemos esperar nos próximos anos para Gui? Nós aqui do HugoCross já estamos prevendo e torcendo por pódio, e vocês?

Subscribe for notification