Quem são os brasileiros classificados para os NOBULL CrossFit Games 2022: Pedro Martins

Compartilhe

A primeira vez que Pedro Martins @pedropbmartins despertou a atenção do Brasil foi em 2018, quando obteve um surpreendente 5º lugar em seu segundo TCB @tcboficial. Surpreendente porque no ano anterior ele havia obtido um 44º lugar geral. Um salto grande de um ano para o outro tinha um motivo. Pedro Martins havia se formado em medicina em 2016 em Juiz de Fora e tinha o foco maior nos estudos e início de sua profissão. Ele tentava conciliar a carreira de médico com a vida de atleta e treinava CrossFit quando podia. Foi em 2018, quando se mudou para Viçosa e conheceu seu coach à época, Adelon Motta @adelonmotta, que o esporte passou a ter a mesma relevância da sua profissão de médico.

Não era a primeira vez que Pedro Martins fazia isso. Ex atleta de karatê, tendo participado de competições nacionais e internacionais na modalidade, Pedro demorou mais tempo que o normal para se formar em medicina pois conciliava o karatê com a faculdade. De fato, o esporte nunca saiu da vida dele. Mas o CrossFit tomou uma proporção que o karatê antes não tinha. Em 2019, ele já tinha mudado o foco. Fazia poucos plantões para manter uma renda e o seu foco era o treino. Com isso se classificou para a sua primeira competição internacional, o Brazil CrossFit Championship em 2019. Nesse mesmo ano conseguiu, pela primeira vez, um segundo lugar no TCB @tcboficial.  Pedro definitivamente tinha entrado no rol de grandes atletas brasileiros.

Mas levar os dois nem sempre é fácil. E tudo tem um custo. Por isso, Pedro começou a organizar sua vida para parar temporariamente com a medicina e se dedicar exclusivamente à vida de atleta. E tudo isso veio no momento que o Open de 2020 foi em 2019. E, por isso, Pedro não conseguiu se dedicar e não se classificou ao BCC 2020. Eis que veio a pandemia e, para suprir falta de campeonatos, o TCB warm up (online). Durante uma prova, ele acabou machucando o joelho e prejudicando o restante da temporada. Após um ano complicado, veio a grande e decisiva mudança em sua vida.

No final de 2020 ele mudou de treinador para o Ramires Tibana @ramirestibana e, no início de 2021, se mudou para São Paulo para treinar na CrossFit Barueri @crossfitbarueri. Foi um ano de importantes mudanças com o objetivo principal em mente: conquistar uma vaga para os CF Games. E tudo parecia estar indo bem. Ele voltou a subir no pódio no TCB 4 All em 2021, ganhou algumas competições regionais…e veio o grande revês. No final de Dezembro, Pedro Martins deslocou o ombro numa competição. A última do ano. E não foi algo simples. Ele estirou todos os 5 músculos do manguito, teve rompimento parcial em alguns músculos do ombro (no caso do infra espinhoso, rompimento de 90%) e ainda teve uma pequena fratura na cabeça do úmero. Se fizesse a cirurgia recomendada, seriam 6 meses fora. Pedro e seu médico decidiram por um tratamento conservador com muita fisioterapia. Foram 3 semanas sem mexer o braço. Depois mais 5 semanas sem jogar nada para cima da cabeça ou se pendurar. A liberação para fazer essas coisas veio apenas 6 dias antes do Open.

No Open, ainda com dor, fez o suficiente para se classificar para as quartas. Nas quartas, por causa das provas com Ring MU e Overhead squat, achava que ia ficar de fora. Mas ele ainda assim se classificou para o Copa Sur. Na seletiva TCB, um certo receio o fez performar aquém do que deveria. E, no que considero uma jogada ousada, um mês antes da semifinal, ele disputou mais uma competição, o Blackshed Games. Lá, ele fez uma prova com HSW com obstáculo e um snatch suave com 125 kg. Se sentiu pronto. Se sentiu preparado. E, no Copa Sur, ele brilhou. Uma performance incrível e consistente sempre no top 10.

Com 32 anos, o ex atleta de karatê e uma das pessoas mais queridas do CF brasileiro vai finalmente realizar o seu sonho de disputar os CrossFit Games. Ficou óbvio como esse cara é querido, para quem ainda não o conhece, na hora em que todos os outros atletas o abraçaram e pularam com ele quando foi anunciada a sua conquista no final do Copa Sur. E, para quem o conhece, como eu, sabe que seu carisma, o jeito humilde e o coração gigante faz com que fique impossível não ser fã dele. Agora é torcer para ele estar ainda mais forte e melhor e fazer bonito nos Games 2022.

Subscribe for notification